Estreia amarga dos "castores" na Taça UEFA


 

Lusa/AO   Futebol   20 de Set de 2007, 22:57

O Paços de Ferreira perdeu hoje por 1-0 na recepção aos holandeses do AZ Alkmaar, em jogo da primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA
Sebastian Pognoli tornou hoje demasiado amarga a estreia do azarado Paços de Ferreira na Taça UEFA de futebol, marcando, aos 90 minutos, o golo solitário com o que os holandeses do AZ Alkmaar venceram (1-0) no Estádio do Bessa.
Os pacenses não mereciam tão duro castigo, pois foram claramente a melhor equipa em campo, atiraram duas bolas à trave - Edson (27 minutos) e Dedé (73) - e viram uma bola ser salva sobre a linha fatal por Steinsson (83), na fase em que uma das mais cotadas equipas da competição estava a ser banalizada.
Em cima do tempo regulamentar, os lusos cometeram um grave erro de marcação, deixando Pocognoli liberto ao primeiro poste, e este aproveitou para cabecear certeiro, conferindo grande injustiça ao resultado, já que os "castores" foram a única equipa a merecer o triunfo. 
Mais experiente internacionalmente e com uma equipa em teoria bem superior, o AZ Alkmaar, de Van Gaal, foi brindado com uma prenda que só fez por justificar nos primeiros vinte minutos, em que justificou um golo.
Melhor dotados fisicamente e possuidores de boa técnica, os holandeses cedo mostraram querer conquistar um resultado positivo em Portugal, ameaçando as redes de Peçanha inúmeras vezes nos vinte minutos iniciais.
O guarda-redes brasileiro começou a mostrar serviço aos oito minutos, ao desviar para canto um bom remate de Dembelé e o avançado belga voltou a estar em evidência logo a seguir, mas errou o alvo - aos 16, Jenner e Dembelé voltaram a estar perto do golo.
O Paços de Ferreira revelava-se ineficaz no contra-ataque, mas despertou com uma "bomba" de longe em que Fernando Pilar (23 minutos) errou a baliza por meio palmo, com o guarda-redes fora dos postes. 
O desafio passou por um período incaracterístico, mas os dez minutos até ao intervalo foram de domínio dos "castores", com Edson em evidência: aos 37 minutos fez um "chapéu" a Waterman, mas a bola foi devolvida pela trave, que, em cima do intervalo, viu outro "disparo" perigoso do internacional angolano. 
Os pupilos de José Mota regressaram ao jogo com muita garra, faltando-lhe apenas maior acutilância e objectividade na hora de atacar a baliza, frente a um opositor que cometeu diversos erros, surpreso com o empenhamento e bom jogo dos lusos.
Em contra-ataque, Ari (63) fez um chapéu a Peçanha, mas o remate cruzado errou o alvo e, aos 73, Dedé, pleno de pujança, ganhou a bola à entrada da área e atirou forte, mas à trave.
Quando o nulo parecia persistir, a defesa pacence ficou a "dormir" e Pognoli, num canto, atirou a contar (0-1) e fixou o resultado final, que podia ter sido ainda mais injusto caso o árbitro tivesse marcado uma merecida grande penalidade a castigar uma falta de Rovérsio sobre Ari, aos 91.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.