Açoriano Oriental
CDS acusa Governo Regional de "esbanjar" dinheiro com PPP do hospital da Terceira

O líder do CDS-PP/Açores e candidato às eleições legislativas regionais, Artur Lima, acusou hoje o Governo Regional de "esbanjar" dinheiro na saúde, criticando a Parceria Pública-Privada (PPP) criada para a construção do Hospital da Ilha Terceira.

CDS acusa Governo Regional de "esbanjar" dinheiro com PPP do hospital da Terceira

Autor: Lusa/AO Online

“O Hospital da Ilha Terceira é uma obra que vai custar cerca de 400 milhões de euros, quando poderia ter custado cerca de 70 a 80 milhões de euros, por má gestão do Partido Socialista dos dinheiros públicos”, afirmou Artur Lima, acrescentando que "a região anda a esbanjar atualmente cerca de 12 milhões de euros por ano".

O dirigente centrista, que é cabeça de lista do CDS-PP pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, ​​​falava, em declarações aos jornalistas, numa conferência de imprensa junto ao hospital.

Artur Lima disse que, se o Governo Regional, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, tivesse construído o hospital com fundos próprios, “que tinha”, em vez de ter optado por uma PPP, que será paga em 30 anos, teria poupado milhões de euros.

“Faz falta para a radioterapia, para a câmara hiperbárica, faz falta para combater as listas de espera e faz falta para fixar especialistas”, frisou.

O candidato centrista lembrou que o CDS reivindica a instalação de um centro de radioterapia na ilha Terceira desde 2009 e garantiu que o partido continuará a “insistir”.

Inaugurado em 2012, o Hospital da Ilha Terceira foi construído com um ‘bunker’ para a implementação de um serviço de radioterapia e tem equipamentos instalados desde 2016 para o funcionamento de uma unidade que ainda não arrancou.

Em 2018, o executivo açoriano justificou o atraso com a falta de casuística para os tratamentos, mas Artur Lima alegou que o argumento não é “sério”.

“Sejamos sérios. O Partido Socialista e Vasco Cordeiro não são sérios nessa matéria política. Se fosse por casuística nós não tínhamos radioterapia nos Açores, não tínhamos uma série de especialidades nos Açores, não tínhamos uma série de voos interilhas nos Açores. Quem vem falar de casuística despreza profundamente a autonomia e cada uma das suas ilhas”, acusou.

O candidato do CDS-PP criticou também a forma como o Governo Regional negociou a valorização da carreira com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, tendo chegado a acordo na véspera do arranque de uma greve.

“O que este governo faz e que fez ontem é uma atitude vergonhosa de Vasco Cordeiro. Eu sinto vergonha alheia por essa atitude. Despreza todos os outros profissionais. Mas tenham esperança, porque em tempo de eleição Cordeiro avança. O que não fez em quatro anos vai agora fazer. Era bom que houvesse eleições todos os anos, todos os meses. Se houvesse eleições, os profissionais de saúde e os outros estariam todos bem reconhecidos”, salientou.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas, o PS venceu com maioria absoluta, elegendo 30 deputados, enquanto o PSD elegeu 19, o CDS-PP quatro, o BE dois e CDU e PPM um cada.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.