Taça da Liga

Benfica salva-se na Reboleira após erro de arbitragem

Benfica salva-se na Reboleira após erro de arbitragem

 

Lusa/AO   Futebol   26 de Set de 2007, 23:20

O Benfica eliminou hoje o Estrela da Amadora da Taça da Liga em futebol, mas saiu vencedor do Estádio José Gomes beneficiando de um golo resultante de um erro de arbitragem que permitiu o desempate por grandes penalidades
O Benfica eliminou hoje o Estrela da Amadora da Taça da Liga em futebol, mas saiu vencedor do Estádio José Gomes beneficiando de um golo resultante de um erro de arbitragem que permitiu o desempate por grandes penalidades.
O encontro estava nos derradeiros instantes quando o árbitro assistente José Lima considerou ter existido grande penalidade cometida por Wagnão, na sequência de um remate forte de Binya, em que a bola embateu claramente no rosto do defesa do Estrela da Amadora.
O caricato é que Duarte Gomes tinha assinalado uma falta contra o Benfica quando o árbitro assistente lhe comunicou a irregularidade no seu entender e obrigou à rectificação da decisão.
O erro de interpretação da equipa de arbitragem permitiu ao Benfica empatar e levar a decisão desta terceira eliminatória da Taça da Liga para as grandes penalidades, sem que tal fosse um prémio para o colectivo de José António Camacho.
É que, embora o Benfica tenha assumido uma atitude mais ofensiva no segundo tempo, o facto é que o colectivo de Camacho, que promoveu as estreias oficiais de Butt, Zoro e Dabao e o regresso à competição de Luisão, nunca encontrou soluções para anular a vantagem do Estrela da Amadora.
O Benfica, com uma defesa completamente renovada, apenas se mostrou nos minutos iniciais, em que, com uma boa circulação de bola, se revelou pressionante, criando dificuldades ao Estrela da Amadora, completamente manietado, sem espaço para ganhar terreno.
Contudo, o domínio do Benfica nesse período, sem produzir resultados (Di Maria dispôs da situação mais flarante de golo), esgotou-se após o primeiro quarto de hora e foi manifestamente pouco.
O Estrela da Amadora cresceu e instalou-se no meio-campo contrário, remetendo os “encarnados” unicamente a tarefas defensivas.
O golo da vantagem dos “tricolores” acabou por surgir como corolário da determinação do colectivo de Daúto Faquirá, com Maurício a desferir um remate forte de longa distância, na transformação de um livre, com Butt a voar em vão para travar a bola.
No segundo tempo, o Benfica partiu em busca de anular o prejuízo e voltou a entrar pressionante, mas foram escassas as ocasiões soberanas de golo criadas, pois o Estrela da Amadora, que recuou no terreno, defendeu a todo o custo a vantagem.
Camacho mexeu na equipa com o objectivo de dar mais velocidade ao conjunto e poupar unidades para jogo da Liga com o Sporting, sábado, e o Benfica ganhou alento.
Daúto Faquirá também recorreu ao banco, mas optou por colocar em campo habituais titulares, claramente para segurar a vantagem magra que foi anulada na decisão muito contestada do árbitro em marcar a polémica grande penalidade, que Adu converteu.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.