Red Bull Air Race

Aviões sobre o rio Douro a partir de quinta-feira

Aviões sobre o rio Douro a partir de quinta-feira

 

Lusa/AO online   Nacional   29 de Ago de 2008, 15:00

Os aviões da Red Bull Air Race vão sobrevoar as zonas ribeirinhas do Porto e Gaia a partir de quinta-feira, quando do primeiro treino da competição, que este ano contará com 12 pilotos.
    A Red Bull Air Race é uma corrida em que as aeronaves realizam uma espécie de "slalon" a uma velocidade máxima de 400 quilómetros/hora, entre pilares insufláveis e com cerca de 20 metros de altura, que serão colocados no rio Douro, ente o viaduto de Massarelos e a Ponte Luís I.

    Segundo disse hoje à Lusa fonte da organização, a primeira sessão de treinos da prova está marcada para quinta-feira, entre as 13:10 e as 14:10 (hora local).

    Os aviões começam, segundo a fonte, a chegar ao Porto já a partir de segunda-feira.

    Sexta-feira, 05 de Setembro, vão realizar-se as segunda e terceira sessões de treinos, com início marcado para as 10:00 (hora local), terminando cerca das 15:45 (hora local).

    As provas de qualificação começam no dia seguinte, pelas 14:30 (hora local), e a corrida terá lugar, então, a 6 e 7 de Setembro.

    Fonte da organização disse que, apesar do Porto ser já a antepenúltima prova do campeonato, em termos de classificação "está tudo em aberto".

    Apesar do piloto inglês Paul Bonhomme liderar o campeonato, "existem outros muito próximos", disse.

    "O austríaco H. Arch, que apenas participa na Red Bull Air Race desde 2007, venceu a última prova, que decorreu em Budapeste, e Steve Jones, que venceu a etapa do Porto na edição do ano passado, ficou em terceiro lugar em Budapeste", salientou a fonte.

    Esta etapa da Red Bull Air Race, cujo custo está estimado entre 11 e 14 milhões de euros, trará ao Porto mais mil toneladas de material transportadas em dezenas de camiões, torres de som e ecrãs gigantes.

    Em termos de segurança da prova e dos milhares de espectadores previstos, este ano a cargo do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, foram previstos todos os cenários de risco e contingência durante a competição.

    Em declarações à Lusa, o Comandante distrital, coronel Teixeira Leite, afirmou que o plano foi elaborado tendo por base as estimativas da organização, que prevê uma assistência ainda maior do que a do ano passado, que contou com cerca de 600 mil pessoas nas margens ribeirinhas das duas cidades.

    "O plano é basicamente idêntico ao de 2007, incluindo, contudo, algumas correcções para evitar complicações em termos de mobilidade então registadas", referiu.

    Teixeira Leite adiantou que haverá mais corredores de segurança e evacuação, de modo a permitir uma maior mobilidade em vias paralelas ao rio.

    Está prevista a mobilização de cerca de 2.500 pessoas para garantir a segurança dos espectadores, entre elementos da PSP, GNR, Autoridade Marítima, Instituto Nacional de Emergência Médica e bombeiros, entre outras entidades.

    O plano prevê cortes de trânsito, montagem de postos médicos avançados - o INEM estará em nove pontos distintos -, criação de corredores de segurança e evacuação e apoio de psicólogos a, por exemplo, pais que percam os filhos.

    "No ano passado apenas se registaram pequenas coisas, como insolações e desidratações", salientou o coronel.

    A navegação a qualquer embarcação de pesca, turismo ou recreio estará interdita durante treinos e provas dos aviões entre as pontes S. João e Arrábida, bem como estará interdito o acesso a pontões, cais e zonas de acesso ao rio semelhantes.

    Teixeira Leite apelou a todos os espectadores que se desloquem para as zonas ribeirinhas com bastante antecedência, de transportes públicos, deixando, de preferência, os seus veículos na periferia do Grande Porto.

    Solicitou ainda que, caso esteja bom tempo e calor, os espectadores não se esqueçam de levar água, bem como chapéu, para protecção do sol.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.