Acessibilidades

SCUT para Nordeste é o "investimento mais importante de sempre"


 

Lusa/AO   Regional   18 de Set de 2008, 06:15

O presidente do Governo açoriano afirmou quarta-feira que a futura estrada sem custos para o utilizador (SCUT) para o Nordeste vai ser o investimento mais importante de sempre para garantir novas oportunidades à população do concelho.
“Eu creio que este vai ser o investimento mais importante desde sempre realizado em termos de novas oportunidades para os nordestenses”, salientou Carlos César.

    O chefe do executivo açoriano falava aos jornalistas após a apresentação da nova estrada que vai ligar os concelhos da Ribeira Grande e Nordeste, no âmbito do projecto das SCUT já em curso na ilha de São Miguel.

    Com um prazo de execução previsto de cinco anos, num total de cerca de 95 quilómetros, representa um encargo global de cerca de 350 milhões de euros, a suportar pela região através do pagamento de uma renda durante 30 anos.

    As SCUT integram três eixos viários: Sul, ligando os concelhos de Ponta Delgada, Lagoa e Vila Franca do Campo; Norte, entre Lagoa e Ribeira Grande (recentemente inaugurada); e Nordeste, que abrange os concelhos de Ribeira Grande e Nordeste.

    Este empreendimento foi atribuído a um concessionário, que tem na espanhola Ferrovial Infra-estruturas o accionista maioritário, com cerca de 95 por cento.

    O eixo agora apresentado vai permitir que a estrada entre a Ribeira Grande e o Nordeste passe das actuais cerca de 160 curvas para apenas 13, encurtando a distância de 52 para cerca de 36 quilómetros e o tempo de viagem médio de pouco mais de uma hora para cerca de vinte minutos.

    “Este investimento é decisivo para os nordestenses”, salientou Carlos César, alegando que vai permitir integrar o concelho mais afastado de Ponta Delgada no circuito económico e social da ilha de São Miguel.

    Segundo o presidente do Governo açoriano, o projecto das SCUT é de “grande dimensão”, uma vez que proporciona vantagens “para todos os concelhos” da maior ilha dos Açores.

    Assegurou, ainda, que esta obra das SCUT “não seria realizada sem este modelo de financiamento” e que a região não teria assim oportunidade, nesta geração, de “permitir este avanço de acessibilidades”.

    “É um investimento de alto valor reprodutivo no plano económico, particularmente para os concelhos que estavam mais distantes” de infra-estruturas como o porto, aeroporto e hospital de Ponta Delgada, disse.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.