Sondagem

Portugueses mais cépticos sobre relações entre Europa e EUA

Portugueses mais cépticos sobre relações entre Europa e EUA

 

Lusa/AO online   Nacional   14 de Set de 2011, 12:31

Os portugueses estão mais cépticos sobre as relações entre os EUA e a União Europeia (UE), com 40 por cento a considerar que é boa, uma descida de 14 por cento em relação a 2010, referem os resultados da sondagem “Transatlantic Trends 2011”.
Os números indicam ainda que 52 por cento dos inquiridos em Portugal definem a relação entre os Estados Unidos e a União como mista (nem boa nem má), um aumento de 12 por cento face a 2010.

O inquérito anual de opinião pública realizado nos Estados Unidos, Turquia e 12 Estados-membros da UE, incluindo Portugal revela no entanto que 54 por cento dos entrevistados dos países da União pretendem que os EUA exerçam uma “liderança forte” face aos principais temas globais.

De todos os países participantes, a maior proporção de respostas positivas foi dada pelos próprios norte-americanos (85 por cento), enquanto na Europa, a Holanda, Reino Unido, Suécia e Alemanha lideram as preferências relacionadas com uma forte liderança dos Estados Unidos à escala global, logo seguidos por Portugal, com 58 por cento de opiniões favoráveis.

No âmbito específico das relações EUA-Portugal, já 82 por cento dos inquiridos portugueses aprovam a forma como Barack Obama está a gerir a política internacional, a percentagem mais elevada entre todos os países incluídos no estudo.

No capítulo relacionado com os novos poderes emergentes, apenas 37 por cento dos portugueses manifestam uma opinião desfavorável face à China, uma descida de 17 por cento face a 2010. Sobre o Brasil, 85 por cento exprime uma opinião positiva, e de forma clara a mais elevada entre todos os países inquiridos. Quanto à Índia, apenas 26 por cento mantém um juízo desfavorável, um recuo de 14 por cento em relação ao ano passado.

No capítulo da Turquia e Médio Oriente, os portugueses voltam a demonstrar pragmatismo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.