Novo Código de Processo Penal "não resolve os problemas essenciais"


 

Lusa/AO online   Nacional   29 de Out de 2010, 18:27

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, disse esta sexta-feira que os democratas cristãos vão insistir “logo que seja possível” em iniciativas para alterar o Código de Processo Penal, considerando que a revisão feita “não resolve os problemas essenciais”.
“Entra hoje em vigor o novo Código de Processo Penal que é uma reedição do velho e que não resolve nenhum dos problemas essenciais para que o país possa ter uma política de segurança digna desse nome”, criticou Paulo Portas.

Em declarações aos jornalistas no Parlamento, o líder do CDS-PP disse que a bancada vai retomar as iniciativas “logo que possível” – na próxima sessão legislativa para alterar as leis penais, nomeadamente a obrigatoriedade de julgamentos em 48 horas nos casos de detidos em flagrante delito.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.