Instalações de apoio à piscina da Ferraria ao abandono (vídeo)

Carregando o video...

 

Nuno Martins Neves   Regional   10 de Out de 2013, 20:52

É um dos "cartões de visita" dos Açores, procurado por açorianos e turistas todo o ano. Mas neste momento, a vista não é digna de cartão.
O bar junto à piscina natural está com os vidros partidos, as instalações sanitárias estão nauseabundas e parte dos chuveiros simplesmente não funciona. As instalações de apoio pouco servem para quem se desloca para contemplar a vista ou experimentar as quentes águas  termais. E mesmo em pleno outono, são muitas as pessoas que não deixam de visitar a Ferraria, como a equipa de reportagem do Açoriano Oriental confirmou quarta-feira.
 
A situação a que as instalações de apoio chegaram já são do conhecimento da Junta de Freguesia dos Ginetes, como nos confirmou o seu  presidente, o social democrata João Paulo Medeiros.
 
O autarca refere que desde setembro que sabem do ato de vandalismo que partiu dois vidros de grande dimensão do bar - “que se encontra quase sempre encerrado”.
 
“A junta foi lá, tirou fotografias e entramos em contacto com o proprietário do espaço, a Palco Natural, que nos informou ter tido conhecimento e já ter avisado a empresa Marques S.A., que avisou que a intervenção duraria cerca de dois a três meses para repor a situação”, explicou.
 
João Paulo Medeiros lembrou que não é uma situação nova. Aliás, o descuido a que a Ferraria foi votada já tinha sido transmitido à Secretaria Regional do Turismo e Transportes (SRTT), numa reunião que teve lugar em julho passado.
 
Nessa altura, “o secretário regional Vítor Fraga assegurou-nos que,  ainda naquele mês [julho], as condições de salubridade, de conforto e de bem estar daquele espaço iriam ser devidamente repostos”.
 
Só que o presidente da junta diz que não houve uma única intervenção no local durante todo o verão, pese embora os “milhares e milhares de pessoas” que visitam a Ferraria. As preocupações da junta foram, entretanto, sublinhadas à SRTT em novas reuniões em agosto e
setembro. “Mas até agora, não tivemos resposta”.
 
As condições deficientes das instalações de apoio já motivaram queixas por parte dos utilizadores, transmitidas pessoalmente e por e-mail à Junta de Freguesia dos Ginetes.
 
“Houve situações em que as pessoas sofreram algumas quedas, porque não chegaram a colocar a escada de acesso ao mar, nem as cordas de segurança aos banhistas. Só colocaram uma corda – que não corresponde àquilo que é necessário – agora no final de setembro. A Ferraria tem imensas potencialidades mas as condições que oferece estão ao nível do terceiro mundo”, diz João Paulo Medeiros.
 
As queixas do presidente de junta estendem-se ainda à inexistência de um nadador salvador num local “que está dentro do roteiro de zonas balneares oficiais dos Açores”, enquanto na praia dos Mosteiros existem dois durante a época de banhos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.