Ajuda externa

Gurria diz que aumentar impostos é essencial para garantir crescimento


 

Lusa/AO online   Economia   14 de Set de 2011, 18:38

O secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, considerou que o aumento dos impostos é uma condição essencial para garantir o crescimento no futuro, não só em Portugal, mas noutros países do mundo.
“Não se trata de uma imposição da ‘troika’. Trata-se de medidas que têm de ser tomadas, não só em Portugal, mas também noutros países que já estão a tomá-las para corrigir desvios [orçamentais] e garantir o crescimento futuro”, disse Angel Gurria no final de um encontro de cerca de uma hora com o Presidente da República, Cavaco Silva, em Belém.

Segundo o secretário – geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), “para assegurar o crescimento futuro é indispensável fazer um esforço hoje”.

Gurria reconheceu, todavia, que o aumento de impostos “não é um esforço grátis”, na medida em que este tipo de medidas provoca “queda do crescimento no curto prazo, mas permite que, através de boas políticas públicas, no futuro se possa recuperar o crescimento da economia e reduzir o desemprego”.

O responsável da OCDE admitiu ainda que o desemprego entre os jovens é um facto relevante em Portugal, mas não é só um problema português, mas também de outros países.

Este e outros assuntos estiveram em cima da mesa neste encontro “de cortesia” que Gurria teve com Cavaco Silva.

Nesta sua passagem por Lisboa o secretário-geral da OCDE reuniu-se também com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, com o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas e com o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.