Liga dos Campeões

FC Porto bate Arsenal e vence Grupo G

FC Porto bate Arsenal e vence Grupo G

 

Lusa/AO online   Futebol   10 de Dez de 2008, 20:03

O FC Porto garantiu hoje o primeiro lugar do Grupo G da Liga dos Campeões de futebol, ao derrotar o Arsenal por 2-0, em jogo da sexta e última jornada, disputado no Estádio do Dragão, no Porto
Bruno Alves e Lisandro Lopez ofereceram hoje ao FC Porto o primeiro lugar do Grupo G, 600 mil euros e a vitória em casa sobre o Arsenal por 2-0, na sexta e última jornada da Liga dos Campeões em futebol.
Já com o apuramento assegurado para os oitavos-de-final, o FC Porto (tal como o Arsenal) somou a quarta vitória na competição, manteve a tradição de nunca perder em casa com ingleses e ainda repetiu os feitos de 1996/97 e 2007/08, épocas nas quais conseguiu o primeiro lugar da respectiva “poule”.
Os “azuis-e-brancos”, com os golos de Alves (39 minutos) e Lisandro (54), foram ainda capazes de impor ao Arsenal a primeira derrota na Champions nesta temporada, assim como desforrar a pesada derrota em Londres por 4-0.
O espectáculo, frio no primeiro tempo, valeu sobretudo pela segunda parte, etapa na qual o FC Porto foi claramente superior, quase conseguindo mais dois ou três golos, não fosse a falta de pontaria de Rodriguez (63 e 67 minutos) e Lucho (73).
O Arsenal, sem as suas principais figuras, replicou bem nos primeiros 45 minutos, mas na etapa final do jogo foi uma equipa completamente banal, quase arriscando a goleada no Dragão.
Tentado a arrecadar mais euros para os cofres portistas, o treinador Jesualdo Ferreira não facilitou e apresentou Helton na baliza, uma defesa com Fucile, Bruno Alves, Rolando e Pedro Emanuel, deixando Fernando, Raul Meireles e Lucho Gonzalez no meio-campo e no apoio aos avançados Cristian Rodriguez, Lisandro Lopez e Hulk.
Mais atrevido, Arsene Wenger deixou de fora muitos habituais titulares, como Fabregas, Nasri, Walcott, Adebayor ou Van Persie e surgiu no Dragão em 4x4x2, com Carlos Vela e Nicklas Bendtner como jogadores mais ofensivos e Gallas e Silvestre a marcarem a experiência na defensiva.
Com mais posse de bola nos minutos iniciais, o Arsenal pareceu disposto a marcar cedo e até criou a primeira oportunidade, aos cinco minutos, num remate sem direcção, de cabeça, de Djourou.
Bruno Alves respondeu de livre directo para as mãos de Almuria, aos oito minutos, mas foi Ramsey que quase consegui o primeiro para o Arsenal, aos 25, num remate cruzado e superiormente defendido por Helton.
Pouco depois, Gallas perdeu infantilmente uma bola em zona proibida e Lisandro rematou com estrondo contra o corpo de Almuria, momentos após Lucho ter atirado por cima da baliza, na sequência de uma “cavalgada” de Hulk, pela esquerda.
Melhor com o aproximar do final da primeira parte, o FC Porto começou a chegar com mais frequência à área contrária e, aos 39 minutos, Raul Meireles aproveitou um pontapé de canto para colocar a bola em Bruno Alves que, sozinho e perante Almuria, cabeceou para o golo inaugural.
No início da segunda parte, os “azuis-e-brancos” aumentaram a vantagem, quando Fernando isolou Lisandro Lopez e o internacional argentino, descaído para a direita, desferiu um potente remate ao ângulo, perante a impotência de Almuria, aos 54 minutos.
A perder, o treinador francês do Arsenal chamou Gibbs e Wilshere, mas foi o FC Porto a voltar a criar perigo: aos 63 e 67 minutos, primeiro pela esquerda e depois pela direita, Cristian Rodriguez galgou meio-campo com a bola e, das duas vezes, rematou ao lado, valendo, no entanto, o esforço, imediatamente premiado com inúmeros aplausos.
Ouviram-se “olés” no Dragão e mais aplausos, quando Lucho, a passe de Lisando, rematou ao lado, em mais uma excelente ocasião de golo para os portistas.
O Arsenal, que até então não tinha conseguido qualquer situação de perigo no segundo tempo, somente ameaçou aos 83 minutos, num livre de Bendtner, à figura de Helton.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.