Empresas de congressos e eventos querem papel ativo no processo de descentralização

Empresas de congressos e eventos querem papel ativo no processo de descentralização

 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Jan de 2019, 16:06

O presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE), António Marques Vidal, disse, esta quarta-feira, que o processo de descentralização de competências para as autarquias deve merecer um papel ativo das entidades ligadas à associação.

"É altura de não fazerem isso sem a nossa participação", advertiu o responsável, abordando o processo de descentralização de competências implementado pelo Governo.

Marques Vidal falava na cidade da Horta, nos Açores, na sessão de abertura do 7.º congresso da APECATE.

Para o presidente da associação, os prémios recentes de Portugal como destino turístico de eleição devem merecer especial atenção e representam um "desafio muito grande".

"É altura de não ficarmos contentes com o facto de estarmos bem, mas de ficar muito atentos para perceber que temos de continuar neste campeonato. Não podemos parar, se não vamos descer e, quando acordarmos, já é tarde", sinalizou.

O 7.º congresso da APECATE arrancou hoje e pretende "definir estratégias de consolidação" num momento económico "favorável".

Na nota preparatória da associação é referido que "é nos momentos mais favoráveis para um setor de atividade económica que é mais importante refletir e definir estratégias de consolidação".

Nesse sentido, diz a entidade presidida por António Marques Vidal, o congresso que decorre na Horta, na ilha do Faial, pretende integrar debates "de temas considerados prioritários" para setores como o turismo ou os eventos em si, nomeadamente "a qualificação e certificação de destinos", a "modernização da gestão" ou a legislação laboral.

O 'marketing' digital como "ferramenta de promoção num mundo globalizado e ferozmente competitivo" e os "desafios da autorregulação", tanto na animação turística como no setor dos eventos e congressos, serão também áreas a debater pelos congressistas.

A sustentabilidade do destino Açores é um dos temas em destaque nos dois dias de trabalho, que levarão à ilha do Faial especialistas em legislação laboral, em jornalismo, transportes ou organização de eventos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.