Euribor

Crédito às empresas mais caro com subida das taxas Euribor a três meses

Crédito às empresas mais caro com subida das taxas Euribor a três meses

 

Lusa/AO online   Economia   21 de Out de 2011, 11:12

As taxas Euribor subiram esta sexta-feira a três meses para 1,585 por cento, enquanto a seis meses, o principal indexante para o crédito à habitação se manteve a 1,785 por cento, segundo o 'fixing' diário da Federação Europeia de Bancos.
No prazo dos três meses, a taxa que serve de principal indexante para os empréstimos às empresas, avançou uns ligeiros 0,001 pontos percentuais para 1,585 por cento, enquanto nos nove meses se manteve também inalterada em 1,956 por cento e a 12 meses caiu 0,001 pontos percentuais para 2,122 por cento.

A taxa de juro directora da zona euro está, desde Julho deste ano, em 1,5 por cento.

Os analistas referiram que os bancos estão "reticentes em emprestar dinheiro entre si, por desconfiarem das garantias (colaterais) associados a este tipo de operações".

Por sua vez, a necessidade de se realizar mais uma Cimeira Europeia extraordinária na quarta-feira, depois da que ficou marcada para este fim-de-semana com o objectivo de se ultrapassar o impasse entre a Alemanha e a França para que cheguem a “uma solução consistente” está a “enervar os mercados” e a “desanimar os investidores” quanto a uma solução para a dívida europeia, segundo os analistas.

Além disso, a deterioração da crise na Grécia está a levar a que os bancos estejam “cada vez mais expostos à degradação da dívida soberana helénico”, o que está a criar “ainda maiores incertezas”, explicaram.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de bancos está disposto a emprestar dinheiro no mercado interbancário.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.