Açoriano Oriental
Migrações
Cinco Estados-membros enviam ajuda de emergência à Grécia

Cinco Estados-membros da União Europeia disponibilizaram ajuda de emergência à Grécia na sequência do incêndio da semana passada no campo de refugiados de Moria, na ilha grega de Lesbos, anunciou a Comissão Europeia.

Cinco Estados-membros enviam ajuda de emergência à Grécia

Autor: Lusa/AO Online

O executivo comunitário indicou que a Grécia pediu assistência através do Mecanismo de Proteção Civil da UE e, “numa resposta imediata, Dinamarca, Áustria, Finlândia, Suécia e Alemanha ofereceram tendas, cobertores, kits de inverno e sacos-cama”.

“A UE vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para ajudar a Grécia e os refugiados afetados. Agradeço a todos os países que enviam ajuda e que põem em marcha a solidariedade da UE", comentou o comissário europeu responsável pela Gestão de Crises, Janez Lenarcic.

A Comissão lembra que esta ajuda de emergência suplementar segue-se à assistência já prestada à Grécia, desde abril, por Polónia, Áustria, República Checa, Dinamarca, Holanda e França, que enviaram também material, incluindo unidades de alojamento, sacos-cama, colchões, cobertores, lençóis, artigos de higiene e uma estação médica”.

“Além disso, e em resposta a um pedido anterior de assistência da UE no início de março, 17 países ofereceram mais de 90 mil artigos à Grécia através do Mecanismo” de Proteção Civil, complementa a Comissão Europeia, num comunicado divulgado.

No domingo, as autoridades gregas asseguraram que um novo campo para acolher os migrantes que se encontram desalojados após a destruição do campo de refugiados de Moria estará pronto ainda esta semana.

De acordo com o ministro da Migração grego, Notis Mitarachi, cerca de 12.000 migrantes e requerentes de asilo, que ficaram sem abrigo depois dos incêndios que destruíram o campo de refugiados sobrelotado na ilha de Lesbos, serão transferidos para uma nova cidade de tendas construída pelo exército.

Milhares de famílias dormem no asfalto, nas calçadas ou no campo em Lesbos há várias noites, depois dos gigantescos incêndios de terça e quarta-feira, que destruíram o centro de registo e de identificação de Moria, sem causar vítimas.

Este campo foi criado em 2015 para limitar o número de migrantes provenientes da vizinha Turquia para a Europa.

Mais de 12.000 pessoas viviam no campo, incluindo 4.000 crianças.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.