2007 foi ano de consolidação orçamental e reformas

2007 foi ano de consolidação orçamental e reformas

 

Lusa / AO online   Economia   28 de Nov de 2007, 15:53

O ano de 2007 foi de consolidação orçamental e de reformas em Portugal, disse o governador do Banco de Portugal, avisando que é preciso que esse esforço reformista continue nos próximos tempos.
[Este ano de] 2007 é um ano de consolidação das finanças públicas", à custa da contenção da despesa e da melhoria da receita, afirmou Vítor Constâncio num almoço da Associação Comercial de Lisboa, recordando que nos dois últimos anos Portugal foi o país da União Europeia que mais reduziu o défice público.

"Mostrou-se que era possível fazer reformas em Portugal", acrescentou o governador, sublinhando a importância da reforma da segurança social.

Ainda não há muitos efeitos reais da turbulência financeira internacional em Portugal, afirmou Constâncio, mas o país precisa de "continuar no caminho de reformas estruturais e de consolidação das finanças públicas".

"Ainda há um percurso significativo a percorrer até atingir a consolidação", disse o mesmo responsável, lembrando que Portugal precisa de chegar a 2010 com um défice estrutural de 0,5 por cento do PIB.

É preciso apostar em reformas que "melhorem o ambiente de funcionamento das empresas, desde aspectos burocráticos até à justiça", aconselhou Constâncio.

Em declarações aos jornalistas, o governador voltou a desaconselhar uma descida de impostos nos próximos tempos em Portugal.

"É imprudente baixar impostos até 2010", altura em que as contas públicas devem estar em equilíbrio, afirmou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.