TVNet quer tornar-se canal generalista por cabo

TVNet quer tornar-se canal generalista por cabo

 

Lusa/AO online   Economia   16 de Out de 2007, 17:17

A TVNet quer passar a ser um canal generalista transmitido por cabo, estando já a alterar a sua grelha e a introduzir novos tipos de programas, disse à agência Lusa o coordenador André Rodrigues.
       "Temos tido alguns contactos de operadores de cabo e [tornarmo-nos um canal generalista por cabo] é uma das nossas estratégias para assim que tivermos uma grelha estável", afirmou o coordenador do mais antigo canal de informação via Internet em Portugal.

    O objectivo do canal, adiantou o responsável, é estar no maior número de plataformas de distribuição de conteúdos audiovisuais, sendo que, actualmente, a TVNet já está presente na Internet, na 'corporate TV', no Second Life e "quer agora passar para o cabo".

    A meta poderá começar a ser cumprida a partir do início do próximo ano, já que, até ao final de 2007, a TVNet está a tratar de "deixar de ser apenas um canal de informação para passar a ser um canal generalista, com conteúdos de outro género que não a informação".

    "Apesar do nosso investimento prioritário ser a informação, vamos passar a ter conteúdos de carácter generalista", pelo que a empresa está já a desenvolver uma produtora, explicou o coordenador.

    A nova grelha de programação só deverá apresentar a estabilidade pretendida “em Dezembro, altura em que a empresa completa dois anos de existência”, mas arranca já para a próxima semana com algumas das novas apostas, avançou André Rodrigues.

    Entre as novidades conta-se o programa “Net Fire”, um frente-a-frente político entre Rui Paulo Figueiredo, adjunto do primeiro-ministro, e Jorge Ferreira, ex-líder parlamentar do CDS/PP.

    Na calha está também outro programa de debate, mas este sobre blogosfera, intitulado “BlogSpot”, que acontecerá entre Paulo Gorjão e Luís Rebelo de Sousa.

    Outro dos novos programas será o “Panorama Global”, realizado em parceria com o semanário Sol, e que visa discutir os acontecimentos mais importantes da semana na política internacional.

    Entre as estreias conta-se ainda o “Grande Entrevista”, um espaço semanal dirigido pelo próprio André Rodrigues e que pretende entrevistar as grandes personalidades de várias áreas.

    O “Esta Semana” é outra das novidades, e visa a análise política com a ajuda de vários comentadores dos diversos quadrantes partidários.

    Além destes programas, a nova grelha da TVNet apresenta ainda uma série de nomes que irão funcionar como colaboradores especialistas do canal e que passam pelos economistas António Rebelo de Sousa, Ruben Raposo, Carlos Vieira e Camilo Lourenço, pelo sociólogo Paulo Pereira de Almeida, pelo arquitecto como Rui Valadas, pelo juiz conselheiro Anselmo Rodrigues ou pelo ex-director do Laboratório de Polícia Científica da Polícia Judiciária e actualmente Vice-Presidente do Observatório de Segurança Manuel Anes.

    “Apostamos em informação técnica e muito rigorosa”, disse, adiantando querer que o TVNet “se afirme como um canal de novas gerações e tendências”.

    “Com a nova grelha, pretendemos que, daqui a 6 meses, tenhamos duplicado a nossa audiência”, acrescentou, referindo que o canal apresenta, actualmente, audiências de um milhão de ‘page views’ mensais por cerca de 300 mil pessoas.

    “Ainda não somos amplamente conhecidos, mas já temos uma audiência superior a alguns dos grandes grupos de media”, notou o coordenador do TVNet, que conta com um conselho consultivo composto pelo ex-director do canal 2:, Manuel Falcão, pelo ex-director de programas da RTP1, Jaime Fernandes, e pelo presidente da Associação de Imprensa, João Palmeiro.

    A TVNet, detida pela empresa Pangemedia Global, assume-se como “o primeiro site português que recorre ao suporte audiovisual para, em directo e ‘on demand’, promover a divulgação de factos, opiniões e ideias”, valorizando as chamadas ‘hard news’, actualizadas ao minuto.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.