Açoriano Oriental
Tempo de espera no aeroporto de Lisboa baixou em mais de metade entre maio e agosto

O tempo máximo de espera no aeroporto de Lisboa baixou em mais de metade entre maio e agosto, de quase duas horas para 47 minutos nos três meses de aplicação do plano de contingência, segundo o Ministério da Administração Interna.

Tempo de espera no aeroporto de Lisboa baixou em mais de metade entre maio e agosto

Autor: Lusa/AO Online

Num balanço feito à Lusa sobre os três meses do plano de contingência nos aeroportos portugueses, o Ministério da Administração Interna (MAI) avança que, entre 01 de junho e 30 de agosto, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) controlou 5,4 milhões de passageiros nas chegadas e partidas, metade dos quais no Aeroporto Internacional Humberto Delgado, em Lisboa.

O MAI precisa que a média dos tempos máximos de processamento de passageiros no aeroporto de Lisboa, registada diariamente pela ANA – Aeroportos de Portugal, foi de 47 minutos em agosto, o valor mais baixo de toda a execução do plano de contingência, uma descida de 57,6% face à média dos tempos máximos registados em maio, mês anterior à entrada em vigor do plano.

De acordo com o ministério tutelado por José Luís Carneiro, a média mensal do tempo máximo de espera na fronteira de chegada do aeroporto de Lisboa passou de 111 minutos em maio para 47 minutos em agosto.

Na comparação entre agosto de 2021 e 2022, o MAI regista também uma redução da média do tempo máximo de espera na fronteira à chegada ao Aeroporto de Lisboa, "que passou de 102 minutos para 47 minutos”.

O plano de contingência do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras para os aeroportos portugueses durante os meses de verão incluiu um conjunto de medidas que começaram a ser aplicadas em junho e entraram gradualmente em vigor até ao início de julho para fazer face ao aumento exponencial do desembarque de passageiros no período do verão.

Entre as principais medidas consta um reforço de 55 inspetores do SEF e de 176 agentes da PSP e várias soluções tecnológicas, como o controlo eletrónico de fronteira (E-gates).

O MAI indica também que, ao nível das soluções tecnológicas previstas no plano de contingência, as portas eletrónicas (“E-gates”) com sistema Rapid e Rapid4all registam uma taxa de utilização de 30% nas entradas de passageiros do aeroporto de Lisboa, apesar de o mês de agosto ser caracterizado pelas viagens em família e apenas maiores de idade podem utilizar os dispositivos eletrónicos.

Segundo o MAI, os dados de afluência e utilização dos aeroportos portugueses são alvo de análise semanal por parte da PSP, ANA e SEF, em reuniões de monitorização do plano de contingência, ocasiões em que são promovidos os ajustamentos tidos como necessários.

O Ministério da Administração Interna refere ainda que o plano de contingência vai continuar em vigor, tal como previsto, até ao final do mês de setembro.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados