Setor dos solos e florestas na Europa pode contribuir para limitar aquecimento global

Setor dos solos e florestas na Europa pode contribuir para limitar aquecimento global

 

Lusa/AO online   Internacional   21 de Out de 2019, 17:27

Indonésia e União Europeia são classificadas num estudo divulgado como as zonas do mundo em que uma melhor gestão do solo e florestas pode contribuir para manter o aquecimento global abaixo de 1,5º.

Índia, Rússia, México, Estados Unidos, Austrália e Colômbia estão a seguir numa lista que acompanha um roteiro publicado no boletim científico Nature Climate Change.

"Estes países representam cerca de 50% das emissões ligadas à utilização do solo, portanto é essencial que ajam", disse à agência France Presse a principal autora do estudo, Stephanie Roe.

A utilização do solo inclui a gestão das florestas, a preservação e restauração de outros ecossistemas naturais e as práticas agrícolas.

O trabalho dos investigadores mostrou que a possibilidade de reduzir emissões nesta área não se limita ao que se fizer "nas florestas tropicais, que concentram muita da atenção por causa da desflorestação", mas inclui também "os países desenvolvidos e emergentes", acrescentou.

"Uma gestão sustentável dos solos pode contribuir até 30% do esforço necessário para reduzir as emissões ao ponto de manter o aquecimento global abaixo de 1,5 graus", indicou, acrescentando que "o setor emite anualmente 11 gigatoneladas de equivalente de dióxido de carbono, ou seja, um quarto das emissões mundiais".

"Com este roteiro, poderá ser neutro em emissões em 2040", defendem os investigadores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.