Preço das ações dos CTT para venda ao público fixado em 5,52 euros

Preço das ações dos CTT para venda ao público fixado em 5,52 euros

 

Lusa/AO Online   Economia   3 de Dez de 2013, 09:58

O preço das ações dos CTT - Correios de Portugal, que começam a ser negociadas em bolsa na quinta-feira no âmbito do processo de privatização, foi fixado em 5,52 euros para o público, informou hoje a empresa.

Segundo informação hoje divulgada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), as ações vendidas na Oferta Pública de Venda destinada ao público em geral custarão 5,52 euros, valor máximo do intervalo que o Governo tinha determinado.

O Governo tinha avançado em novembro que o preço das ações oscilaria entre os 4,10 euros e os 5,52 euros.

O valor atribuído às ações a vender ao público foi o mesmo do que foi fixado para a Venda Direta Institucional, enquanto as ações destinadas à aquisição por trabalhadores é de 5,24 euros.

O documento divulgado na CMVM, que cita um despacho do secretário de Estado das Finanças publicado hoje, adianta ainda que a quantidade de ações representativas do capital social dos CTT a alienar na Oferta Pública de Venda é de 21 milhões de ações e as destinadas a Venda Direta Institucional de 84 milhões, incluindo quase 10 milhões (9.545.454) correspondentes ao Lote Suplementar.

Do total reservado à OPV, um lote de 5,25 milhões de ações será para os trabalhadores dos Correios.

Hoje começará também a alocação das ações na Venda Direta Institucional, um mês depois de a Parpública ter anunciado que ia avançar com a oferta pública inicial (IPO) em bolsa da empresa.

No prospeto de venda publicado a 19 de novembro, é determinado que o Estado poderá encaixar um máximo de 497,3 milhões de euros com a venda de ações em bolsa dos CTT.

Numa primeira fase, o Estado, através da Parpública, deverá ficar com 30% dos CTT após a IPO. A médio prazo, o Estado deverá sair da empresa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.