Açoriano Oriental
Peter Handke e Plácido Domingo no centenário do Festival de Salzburgo em 2020

O Festival de Música de Salzburgo cumpre um século em 2020, com uma programação especial que incluirá a estreia de uma obra de Peter Handke, Nobel da Literatura, e o tenor Plácido Domingo numa ópera de Verdi.

article.title

Foto: EPA/JULIEN DE ROSA
Autor: Lusa/AO Online

Em ano de celebração, o festival irá reger-se por várias ideias, entre as quais a de um "individualismo radical" e a "de que o mundo pode ser mudado através de uma solidariedade comunitária", escreveu a direção no programa oficial agora divulgado.

O Festival de Salzburgo decorrerá de 18 de julho a 30 de agosto de 2020 e contará com cerca de 200 espetáculos em 15 espaços da cidade austríaca.

Destaque para a presença do tenor espanhol Plácido Domingo, que se mantém na programação a interpretar a ópera "I Vespri Siciliani", de Verdi, apesar de estar a ser investigado sobre as acusações de abuso sexual.

No mês de agosto, a agência de notícias Associated Press publicou uma longa investigação, com quase 50 pessoas entrevistadas a confirmarem comportamentos impróprios por parte de Plácido Domingo.

Desde a publicação da investigação, foram anunciados cancelamentos de atuações programadas do tenor, mas o Festival de Salzburgo decidiu manter os concertos previstos, com a presidente do evento, Helga Rabl-Stadler, a sublinhar o "tratamento apreciativo [de Domingo] para com todos os funcionários do festival".

O programa centenário contará ainda com uma reinterpretação de "Jedermann", de Hugo von Hofmannsthal, a mesma composição que abriu o Festival de Salzburgo a 20 de agosto de 1920 junto à catedral da cidade.

Destaque ainda para a estreia mundial de "Zdenek Adamec", do escritor austríaco Peter Handke, Nobel da Literatura 2019, a partir da história verídica de um jovem checo que se imolou publicamente em 2003 em Praga, e para a estreia de "Maria Stuart", de Friedrich Schiller, com Birgit Minichmayr no papel principal.

O encenador e artista plástico italiano Romeo Castellucci apresentará "Don Giovanni", de Mozart.

"Cem anos do Festival de Salzburgo significam cem anos de história cultural. O festival de Salzburgo não tem de ser reinventado a cada ano, embora tenha de ser conduzido uma outra vez para um novo presente", refere a direção.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.