Pedidos para evacuações médicas no Corvo "foram sempre efectuados"

Pedidos para evacuações médicas no Corvo "foram sempre efectuados"

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Dez de 2008, 17:19

O Governo açoriano garantiu hoje que todos os pedidos de evacuações médicas solicitados para doentes do Corvo "foram sempre efectuados", rejeitando críticas feitas pelo Partido Popular Monárquico (PPM) nos Açores.
  Hoje em conferência de imprensa o deputado do Partido Popular Monárquico (PPM) no parlamento açoriano, Paulo Estêvão, denunciou alegados atrasos nas evacuações médicas da ilha do Corvo para o Faial, exigindo um "esclarecimento cabal" de responsabilidades.

    Na resposta, a secretaria regional da Saúde adianta que desde 2004 foram efectuadas sete evacuações aéreas a doentes da ilha do Corvo e sempre efectuados todos os pedidos solicitados.

    Sobre o caso concreto de um homem que "no início da semana fracturou gravemente uma perna e teve de esperar quase 24 horas para ser retirado da ilha", o Governo açoriano explicou que o doente estava "clinicamente estável, não se justificando a evacuação nocturna".

    "O doente foi evacuado terça-feira, a meio da manhã, tendo sido assistido no Hospital da Horta, que estava preparado para o receber e efectuar a necessária intervenção cirúrgica", salienta uma nota da secretaria que acrescenta, que o homem deverá regressar ao Corvo na próxima segunda-feira.

    O Corvo é a mais pequena ilha do arquipélago, onde residem cerca de 400 habitantes, e em situações mais graves de saúde, os doentes têm de ser deslocados para o Faial, Terceira e São Miguel, onde se localizam os três hospitais do arquipélago.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.