Açoriano Oriental
Médico e artista Dimas Simas Lopes doa Carmina Galeria à Região

O Museu de Angra do Heroísmo tem agora um novo núcleo museológico com a vertente de arte contemporânea. 16 anos depois da construção de uma galeria com o nome da mãe – Carmina - o médico e artista terceirense Dimas Simas Lopes ofereceu o património aos açorianos através da assinatura de um protocolo de doação da Carmina Galeria ao Museu de Angra do Heroísmo no passado dia 18 de setembro. O novo núcleo museológico reabriu ao público a 9 de outubro com a mostra “Simbologias”.



Autor: Tatiana Ourique / AO Online

A exposição que estará patente até 14 de março de 2021 assinala o novo ciclo da Carmina Galeria de Arte Contemporânea Dimas Simas Lopes.

Ao longo de 16 anos, a galeria de arte - com o seu “Chico Bento Botequim”, um bar cultural - foi local de convívio social e de encontros com as diversas artes. A Carmina Galeria foi uma escola informal para artistas e vai continuar a sê-lo, agora sob tutela do Governo dos Açores através do Museu de Angra do Heroísmo que acrescenta atualmente a valência da arte contemporânea à sua já vasta missão.

Dimas Simas Lopes, conhecido médico, escritor e artista plástico açoriano, admite que o avançar da idade acelerou a decisão e que esta é uma doação ao povo açoriano.

“Fez-se um conjunto muito interessante de eventos culturais na Carmina Galeria, nomeadamente exposições de pintura, escultura, desenho, videoarte entre outras expressões. Mas depois veio a crise de 2010/11 e começou a tornar-se mais difícil manter as portas abertas de uma galeria que tinha tantos custos de funcionamento. Foi aí que pensei que a forma de tornar a galeria viável era através da sua doação ao povo dos Açores através do Governo Regional e com a gestão do Museu de Angra cujo trabalho é conhecido regional, nacional e internacionalmente. Tive uma conversa com o diretor Jorge Bruno e fiquei confiante de que será um espaço onde locais e visitantes poderão estabelecer uma estreita ligação com a arte contemporânea ao mesmo tempo que este espaço de arte vai continuar a ter vida”, adiantou o Dimas Simas Lopes que frisa que esta “é uma doação a todos os meus concidadãos”.

            A Diretora Regional da Cultura, Susana Goulart Costa, diz ter acolhido a comunicação da doação de Dimas Simas Lopes “com muito agrado e que esta será uma forma da ilha Terceira ter um espaço público dedicado às artes contemporâneas para que a rede de sinergias com o Arquipélago- Centro de Artes Contemporâneas seja mais dinâmica”.

Jorge Paulus Bruno, diretor do Museu de Angra do Heroísmo, revela o futuro do novo núcleo museológico. “O espaço tem uma sala de exposições que acolherá mostras temporárias (cinco a seis meses) e não de longa duração. As mostras, que serão tendencialmente em torno da arte, e neste particular na sua expressão contemporânea, terão de ser exploradas no âmbito socioeducativo. Para o efeito, procuraremos cativar e fidelizar o público escolar e o público da terceira idade, para além de outros nichos. Também nos interessa que o público do exterior (turistas) visite as exposições, mas temos a consciência que não será fácil para ele chegar à galeria, essencialmente devido à sua localização. Por outro lado, vamos procurar captar a presença do público local através da realização de eventos aos fins de semana, deslocando para lá mesmo alguns eventos que habitualmente ocorrem no Edifício de São Francisco”.

Também o horário de funcionamento do espaço terá cariz diferenciador: “nas terças, quartas e quintas das 9h30 às 12h00 e das 13h30 às 16h00 e nas sextas e sábados das 17h00 às 21h00. Para tal, contamos, numa primeira fase, com uma licenciada em Ciências de Arte e Património e com a atenção da Direção Regional da Cultura na afetação anual das verbas destinadas à ação cultural dos museus”, adiantou Jorge Bruno.

Carmina Galeria de Arte Contemporânea Dimas Simas Lopes é a nova designação da estrutura cultural em homenagem ao seu doador que é também autor da mostra a inaugurar no próximo dia 9 de outubro, “Simbologias”. Trata-se de uma experiência de dois momentos onde a cultura, as vivências e os símbolos populares têm lugar de destaque. “Breviário Açoriano” é o nome do primeiro momento da mostra de Dimas Simas Lopes com representação de alguns motivos ligados à comemoração e festejos relativos ao culto ao Espírito Santo por crentes e pagãos.

A mostra termina com um segundo espaço intitulado “Sinais da Matéria”, que representa um “alfabeto de figuras que vibram quando lhes dá cor. Signos e símbolos-arquétipos, alguns do imaginário coletivo”.

O até agora detentor da galeria de arte contemporânea, Dimas Simas Lopes, é um conhecido médico cardiologista do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira. A par da paixão pela produção de vinhos, Dimas Simas Lopes foi alimentando o gosto pelas artes, nomeadamente nas áreas da pintura, da escultura e da literatura.

A Carmina Galeria nasceu na freguesia da Feteira, em Angra do Heroísmo, no ano de 2004. O edifício, também todo ele uma obra de arte, alberga criações distintas dos artistas açorianos e de fora da região.

 


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.