Furacão Lorenzo

Maioria dos constrangimentos nas comunicações está resolvida


 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Out de 2019, 14:12

A Altice Portugal disse que os maiores constrangimentos provocados pelo furacão “Lorenzo”, ao nível das comunicações, foram registados nas Flores, Corvo, Graciosa, Pico, São Jorge e Faial, sendo que “a sua maioria já está solucionada”.

“Até ao momento, os maiores constrangimentos fizeram-se notar na ilha das Flores, Corvo, Graciosa, Pico, São Jorge e Faial, sendo que a sua maioria já foi solucionada”, indicou, em comunicado, a empresa.

A intervenção das equipas técnicas da Altice Portugal para as restantes situações está, por seu turno, “condicionada pela própria intempérie e sujeita a autorização por parte das autoridades”.

Entre as principais causas para a afetação das comunicações encontram-se falhas no fornecimento de energias e, nalguns casos, cortes de transmissão por queda de árvores ou estruturas.

De acordo com o último ponto de situação, a dona da Meo regista, essencialmente, “afetação na rede fixa e móvel nas ilhas das Flores e Pico, resultado do impacto em apenas 8% dos 'sites' móveis que tem no Arquipélago dos Açores”.

Assim, do total dos 159 'sites', 13 estavam afetados.

Nos locais onde a intervenção do grupo de telecomunicações foi permitida, já foi recuperada a rede fixa e móvel em Santa Cruz das Flores, os sites TDT “cuja afetação se deveu a falhas na energia”, bem como a reposição dos serviços do cabo submarino entre o Pico e Santa Maria.

“A rapidez e eficiência na recuperação de comunicações é claramente satisfatória e deve-se essencialmente ao empenho das equipas no terreno que, sob condições muito adversas, não deixaram de intervir para garantir as comunicações e a segurança das pessoas, das autoridades e das ilhas”, lê-se no documento.

Adicionalmente, a Altice Portugal destacou a “prévia elaboração” de um plano de contingência preventivo e o “acionamento do gabinete de crise”, que permitiram um “entrosamento entre instituições”.

A empresa, que acionou o gabinete de crise na passada sexta-feira, tem no terreno mais de 150 técnicos e operacionais especializados.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.