Açoriano Oriental
Gyökeres bisou dos 11 metros em Faro e entregou liderança isolada ao Sporting

Um bis de grandes penalidades do sueco Gyökeres entregou hoje a liderança isolada da I Liga portuguesa de futebol ao Sporting, que venceu (3-2) fora o Farense, reduzido a 10 desde os 18 minutos, em encontro decidido aos 90.

Gyökeres bisou dos 11 metros em Faro e entregou liderança isolada ao Sporting

Autor: Lusa /AO Online

Gyökeres abriu o marcador aos 21 minutos, de grande penalidade, no lance que originou a expulsão do Gonçalo Silva, Pedro Gonçalves aumentou a vantagem aos 35, mas o Farense não se rendeu e anulou a desvantagem com dois golos de Mattheus Oliveira, aos 37 e 55, ambos de livre direto, até que, aos 90 minutos, o sueco marcou o decisivo 3-2, novamente da marca de 11 metros.

À sétima ronda da Liga, o Sporting ocupa agora o primeiro lugar isolado, com 19 pontos, mais um do que o Benfica e mais três do que o FC Porto, enquanto o Farense está no 12.º posto, com seis pontos.

José Mota, treinador dos algarvios – que tinha poupado os titulares na vitória sobre o Tondela (1-0), para a Taça da Liga, a meio da semana –, fez uma alteração face à derrota com o Moreirense (1-0), com Marco Matias a voltar à titularidade, tal como Rúben Amorim, que trocou Paulinho pelo regressado Gyökeres face ao ‘onze’ do triunfo sobre o Rio Ave (2-0).

O Sporting entrou com intenções de mandar no jogo, com algumas incursões pelas alas que não resultaram em grande perigo – Esgaio até tentou de ‘bicicleta’, mas a bola saiu muito ao lado (12) –, e, ainda no primeiro quarto de hora, perdeu o ‘capitão’ Coates por lesão, com Rúben Amorim a lançar Matheus Reis.

Aos 18 minutos, uma perda de bola de Fabrício Isidoro originou lance de contra-ataque dos forasteiros: Gyökeres correu pela esquerda, cruzou para a área e, após um ressalto, Pedro Gonçalves rematou com ‘selo’ de golo, mas Gonçalo Silva cortou a bola com o braço e foi expulso. Na conversão do respetivo penálti, o internacional sueco não desperdiçou (21), assinando o quarto golo no campeonato.

Em inferioridade numérica, o Farense baixou o ‘trinco’ Cláudio Falcão para central e ‘arrumou-se’ em ‘4-4-1’, mas os ‘leões’ mantiveram o ascendente, com Nuno Santos (24) e Marcus Edwards (25) a ameaçarem de forma consecutiva, ambos com remates para fora.

O ascendente do Sporting resultou no 2-0, aos 35 minutos, num remate de Pedro Gonçalves, rasteiro e em jeito, de fora da área, mas os algarvios demoraram dois minutos a reduzir a diferença, num livre direto superiormente executado por Mattheus Oliveira, que contornou a barreira por fora e surpreendeu Adán.

Numa primeira parte emotiva e jogada a um ritmo alto – também porque o Farense não se desmotivou, apesar da desvantagem no marcador e no número de jogadores –, a equipa de Rúben Amorim teve a última oportunidade, num remate de Gyökeres que obrigou Ricardo Velho a uma grande estirada (43).

Para o segundo tempo, o técnico do Sporting abdicou do ‘amarelado’ Hjulmand – tinha arriscado a expulsão ‘à beira’ do intervalo – e apostou em Paulinho, recuando Pedro Gonçalves para o meio-campo.

Nuno Santos esteve perto do 3-1, com Ricardo Velho a impedir o remate do ala com uma grande defesa (50), mas seria o Farense a restabelecer a igualdade, em novo livre direto marcado pelo médio brasileiro Mattheus Oliveira (55).

O Sporting começou a ‘apertar’, empurrando o adversário para o último terço, mas o guardião Ricardo Velho liderava a ‘muralha’ algarvia, evitando o livre direto de Pedro Gonçalves (59) e, dez minutos depois, com um voo sensacional, um cabeceamento de Paulinho.

Mattheus Oliveira ainda tentou surpreender de fora da área (81), mas Adán registou excelente defesa, e aos 87 minutos surgiu nova grande penalidade, por falta de Zé Luís sobre Edwards. Gyökeres voltou à marca dos 11 metros e não falhou, entregando a liderança isolada da Liga aos ‘leões’.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados