Casamento homossexual

"Gays" católicos defendem casamento


 

Lusa/AO   Nacional   7 de Out de 2008, 11:44

O Grupo Homossexual Católico Rumos Novos defendeu o casamento entre pessoas do mesmo sexo para acabar com a “discriminação”, assumindo uma posição contrária à Igreja Católica.
“O casamento entre pessoas do mesmo sexo é a coisa certa para fazer”, afirma em comunicado o Rumos Novos, que promoveu no final de Setembro um encontro ibérico que reuniu, em Évora, 26 representantes de seis associações cristãs de homossexuais de Portugal e Espanha.

    Para os “gays” católicos, todos os cidadãos têm o “direito do acesso à “protecção legal do Estado”, independentemente da “tradição sócio-cultural religiosa, classes sociais, cor e orientação sexual”.

    “As posições calculistas de vários sectores do poder político, escudados nos mais variados argumentos, de recusa do acesso de todos os cidadãos ao direito ao casamento, revelam um profundo e preocupante preconceito: o de recusar a uma parte da sociedade portuguesa a igualdade, a justiça e a liberdade”, sustentam no comunicado.

    Para o Rumos Novo, a recusa de aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo só vai conseguir a “continuação da discriminação”.

    A posição do Grupo Homossexual Católico não merece a aprovação da Igreja Católica, que defende que, "do ponto de vista da concepção religiosa católica, não pode ter o mínimo fundamento o casamento homossexual”.

    O casamento homossexual vai ser discutido e votado pela Assembleia da República a 10 de Outubro através de dois projectos de lei do Bloco de Esquerda e dos Verdes, que prevêem a alteração do artigo 1577 do Código Civil, que define o casamento como um contrato “entre duas pessoas de sexo diferente”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.