Fundação do Gil quer mais voluntários para o Hospital do Divino

Fundação do Gil quer mais voluntários para o Hospital do Divino

 

Carla Dias   Regional   13 de Nov de 2010, 14:17

Dizem-se “abridores de janelas” e todas as quintas-feiras, durante uma hora, abrem a imaginação dos mais novos internados no serviço de pediatria.
Carregam livros de histórias, fantoches, desenhos e instrumentos musicais para aliviarem a já de si dura realidade de um internamento.

O núcleo de Ponta Delgada é o 28º da Fundação do Gil e desde há um ano conta com 20 voluntários que fazem “maravilhas” às crianças. O balanço é feito por Pereira Duarte, director do serviço, que “vê com muita simpatia a animação que chega todas as semanas, pois tenta aliviar o mal-estar causado pelo internamento”. Um esforço de humanização muito válido e que tem sido conseguido, garante o clínico, além de “uma ajuda preciosa”.

É isso que os voluntários tentam proporcionar: ajudar os pais a esquecer (nem que seja por uma hora) que o internamento e o consequente afastamento da família é real e também ajudar os mais novos a meter “mãos à obra” e ajudar a tocar instrumentos ou a fazerem o uivo do lobo mau.

Leia esta notícia na íntegra no jornal Açoriano Oriental de sábado, dia 13 de Novembro de 2010


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.