Açoriano Oriental
Compensações vão ajudar vítimas de abuso no caminho da “justiça e dignidade”

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), José Ornelas, defendeu no Vaticano que as compensações financeiras a vítimas de abusos sexuais na Igreja têm como objetivo ajudar estas pessoas no “caminho da justiça e da dignidade”.

Compensações vão ajudar vítimas de abuso no caminho da “justiça e dignidade”

Autor: Lusa/AO Online

Em declarações no final de encontros dos bispos portugueses nos dicastérios para os Bispos e para a Doutrina da Fé, José Ornelas afirmou que “estão em causa pessoas concretas”, sublinhando que o trabalho desenvolvido no seio da Igreja para apoiar as vítimas está “no bom caminho”.

O também bispo de Leiria-Fátima, citado pela agência Ecclesia, adiantou que em causa está a necessidade de “reconhecer que um mal lhes foi feito, ou não devia ter acontecido”.

Na ocasião, o presidente da CEP, a propósito da audiência que hoje o Presidente da República concedeu ao Grupo VITA, considerou necessário que “toda a sociedade portuguesa se movimente” no sentido de prevenir e combater novos casos de abusos.

“Todos os que têm a responsabilidade a usem, e os meios que têm à disposição, para que isto possa mudar”, apelou, acrescentando que “é uma cultura que se tem de mudar nos vizinhos, é uma cultura que se tem de mudar nas instituições, na escola, estar alerta para os sinais que podem denunciar”.

José Ornelas assegurou ainda que a Igreja está a fazer “um grande trabalho de prevenção e de formação dos agentes pastorais, para que estejam atentos a esta realidade, saibam detetá-la, saibam evitá-la e saibam também ajudar a criar uma cultura [de segurança], na sociedade portuguesa”.

Os bispos portugueses estão em Roma até à próxima sexta-feira, quando terão uma audiência com o Papa Francisco, cumprindo uma visita “ad limina”.

A visita “ad Limina Apostolorum” é feita de cinco em cinco anos e, além de reuniões dos prelados com os diferentes dicastérios da Santa Sé, encontram-se também com o Papa, com o Código de Direito Canónico a estabelecer que “o Bispo Diocesano tem obrigação de apresentar ao Sumo Pontífice, a cada cinco anos, um relatório sobre a situação da diocese que lhe está confiada”.

Em outro encontro, com o dicastério para a Evangelização, os bispos portugueses ouviram o pró-prefeito, cardeal Rino Fisichella, dizer que o Jubileu de 2025 está a ser preparado como um evento “para anunciar esperança” e que o Jubileu dos Jovens, em julho e agosto deste ano, vai contar com a experiência da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

A agenda do dia de hoje, que ainda prevê reuniões no dicastério para a Doutrina da Fé, para os Leigos, a Família e a Vida e na Secretaria de Estado e Secção para as Relações com os Estados e as Organizações Internacionais, fecha com um jantar na Embaixada de Portugal junto da Santa Sé.

O grupo desta visita é constituído por 29 membros da CEP: 20 bispos diocesanos, cinco bispos auxiliares, um bispo eleito (Beja), dois bispos eméritos (Cardeais António Marto e Manuel Clemente) e um Padre (secretário e porta-voz da CEP).


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados