Açoriano Oriental
OE2020
"Claro que primeiro-ministro não se vai demitir" se IVA da luz baixar, diz vice PSD

O vice-presidente do PSD Salvador Malheiro antecipou este domingo que o primeiro-ministro não se demitirá se for aprovada a redução do IVA na eletricidade e reforçou que o partido votará todas as propostas que não afetem o excedente de 0,2%.

article.title

Foto: ANTÓNIO COTRIM/LUSA
Autor: AO Online/ Lusa

O PSD "não terá nenhum problema em votar a favor" de todas as propostas de redução da taxa de IVA da eletricidade de 23% para 6% desde que estejam garantidas "duas premissas", a de que exista compensação da receita fiscal e desde que não coloque em causa o excedente orçamental de 0,2%, afirmou o dirigente social-democrata em entrevista ao programa "Gente que Conta", do Porto Canal.

Salvador Malheiro antecipou que o primeiro-ministro, António Costa, está a dramatizar a aprovação da medida, mas não vai deixar cair o Governo.

"Claro que não se vai demitir, porque tudo revela que ele está a agir de má-fé, está a criar mais um caso porque, se ele disse aos portugueses que queria reduzir o IVA e ia pedir autorização a Bruxelas, era sua obrigação contemplar essa redução de receita fiscal no próprio orçamento", sustentou.

Para o vice de Rui Rio, "os portugueses começam a perceber a estratégia de dramatização do PS".

"Penso que caiu a máscara porque todos sabem que o governo anunciou que era sua intenção reduzir o IVA da eletricidade", argumentou.

Salvador Malheiro insistiu que "o PSD é coerente" porque apresentou no seu programa eleitoral a redução do IVA da luz no setor doméstico de 23% para 6% e agora está a concretizar a medida.

Quanto a possíveis acordos com os partidos da esquerda que tem propostas idênticas, o BE e o PCP, o vice-presidente social-democrata reiterou que o partido votará favoravelmente todas as propostas que não ponham em causa as "duas premissas" traçadas.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.