Ciclismo

Cinco chegadas em alto, um só "crono" e troços empedrados no Tour de 2014

Cinco chegadas em alto, um só "crono" e troços empedrados no Tour de 2014

 

Redação AO/LUSA   Outras modalidades   23 de Out de 2013, 12:22

A Volta a França em bicicleta de 2014, que arranca a 05 de julho em Inglaterra, será marcada por cinco chegadas em alto, pelas passagens em diversos troços de empedrado e pela existência de um só contrarrelógio.

Apresentado hoje em Paris pelo diretor da corrida, Christian Prudhomme, o percurso da 101.ª edição vai contemplar os Vosges (nordeste), depois os Alpes (sudeste) e por fim os Pirenéus (sudoeste), antes de conduzir o pelotão aos Campos Elísios, em Paris, a 27 de julho.

Em contraste com os cinco finais de montanha propostos, número acima da média e que não se via desde 2002, o programa inclui somente um contrarrelógio, uma opção rara que não era tomada desde os anos 50 do século passado.

O itinerário, revelado sob o olhar do vencedor deste ano, o britânico Chris Froome, numa plateia em que também estava o português Rui Costa, campeão do Mundo, vai sair de Leeds, no Yorkshire, sete anos após a histórica partida de Londres, que voltará a figurar no mapa do Tour para acolher o final da terceira etapa.

Após a entrada em solo francês, os ciclistas vão encontrar nove setores de empedrado habitualmente utilizados na "rainha das clássicas", o Paris-Roubaix, num total de 15,4 quilómetros, que figuram no programa antes da passagem nas regiões de Champagne e Lorraine e antecedem a média montanha dos Vosges.

Será nesta cordilheira, mais especificamente em La Planche des Belles Filles, palco de um triunfo de Froome em 2012, que estará instalada a primeira chegada em alto, na 10.ª etapa. As restantes quatro repartem-se pelos Alpes (Chamrousse e Risoul) e pelos Pirenéus (Pla d'Adet e Hautacam).

Enquanto os Alpes escondem desta vez os seus grandes topos, à exceção do Izoard, que se sobe antes do inédito final de Risoul, os Pirenéus, colocados no último terço da corrida, propõem uma sucessão de grandes dificuldades em Port de Balès, Portillon, Peyresourde, Azet e Tourmalet.

Os três dias no maciço pirenaico antecedem um único contrarrelógio, de 54 quilómetros, entre Bergerac e Périgueux, na véspera da etapa de consagração. Desde 1953, a Volta a França teve sempre um mínimo de dois "cronos", prólogos incluídos.

Com um total de 3.656 quilómetros, repartidos por 21 etapas que serão interrompidas por dois dias de descanso, a 15 e 21 de julho, este Tour será pouco favorável aos roladores e vai privilegiar os trepadores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.