Cavaco Silva defende que competitividade em Portugal não passa por salários baixos

Cavaco Silva defende que competitividade em Portugal não passa por salários baixos

 

Lusa/AO online   Economia   4 de Nov de 2013, 15:35

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, disse esta segunda-feira que "a competitividade em Portugal não se encontra nos salários baixos" e sublinhou a importância da inovação para o país concorrer no mundo globalizado.

 

As declarações de Cavaco Silva foram realizadas após ter sido confrontado com o relatório divulgado esta segunda-feira pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) no qual se aconselha Portugal a ponderar aumentar o salário mínimo e no qual se condira que, com a ajuda da Europa o país pode criar 100 mil empregos até 2015.

“É por isso que insisto sempre muito no conhecimento, na inovação, criatividade e em encontrar capacidades acrescidas para podermos concorrer no mundo que é, de facto, global”, sublinhou em Tomar, à margem da inauguração do Centro de Inovação Tecnológica da IBM.

A decisão de aumentar o salário mínimo, lembrou, “é uma matéria que é tratada no Conselho Permanente da Concertações Social”.

Cavaco Silva utilizou o momento, contudo, para apelar aos empresários portugueses para “aproveitarem as oportunidades que certamente vão surgir com a recuperação da economia portuguesa e com o crescimento da economia europeia”.

“O meu apelo aos empresários portugueses é de que não se atrasem e aproveitem as oportunidades”, afirmou.

Antes, durante a inauguração a que presidiu do Centro de Inovação e Tecnologia da IBM, o Presidente da República definiu três “desafios que Portugal enfrenta”: a criação de emprego jovem e de elevada qualificação”; o reconhecimento de que “Portugal está preparado para receber o investimento internacional e que se perfila como uma das localizações mais competitivas da Europa; e a aposta no conhecimento e inovação como “fatores-chave de crescimento da economia portuguesa”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.