Saúde

116 mil crianças europeias sofrem de diabetes

116 mil crianças europeias sofrem de diabetes

 

Lusa/AO online   Internacional   14 de Nov de 2011, 17:32

Cerca de 116.000 crianças europeias são diabéticas, universo a que deverão juntar-se este ano mais 18.000 portadores da doença, de acordo com dados divulgados hoje pela Federação Internacional da Diabetes (FID).
Numa nota divulgada para assinalar o Dia Mundial da Diabetes, que esta segunda-feira se assinala, aquela organização salienta o facto do continente europeu ser a região com a maior taxa de diabéticos entre a população infantil.

“Ter a maior taxa de crianças com diabetes é fulcral para não nos esquecermos que temos de manter a diabetes no topo da agenda da UE sobre a saúde. Neste período de agitação financeira, os governos da Europa não se podem dar ao luxo de reduzir o acesso aos cuidados essenciais”, afirma Chris Delicata, presidente da FDI Europa, citada no comunicado.

A Federação estima que até ao fim deste ano o número de europeus diabéticos atinja os 52,8 milhões de doentes entre a população 2011 e que dentro de 20 anos atinja os 64,2 milhões.

Os especialistas calculam que existam ainda 19 milhões de pessoas que desconhecem ser portadoras da doença.

A nível mundial, as estatísticas indicam a existência de 366 milhões de pessoas com a doença, número que deverá crescer cerca de 50 por cento até 2030, quando o número de diabéticos deverá atingir os 552 milhões.

"Em todos os países e comunidades a nível mundial, estamos a perder terreno na luta contra esta doença cruel e mortal", alerta o presidente da FID, Jean Claude Mbanya, para quem o Dia Mundial da Diabetes deve este ano chamar à atenção a nível global para estes “factos alarmantes sobre a diabetes”.

“Exigimos que os líderes públicos e mundiais comecem a fazer alguma coisa em relação à diabetes", reivindica aquele responsável.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.