Windows 7 português concorre com versões pirateadas

Windows 7 português concorre com versões pirateadas

 

lusa   Economia   31 de Out de 2009, 11:33

A versão portuguesa do Windows 7 chega hoje às lojas, nove dias depois do lançamento mundial daquele que é o mais recente sistema operativo da Microsoft, mas já é pirateado em países como a China e Brasil.

Antes do lançamento oficial a nível mundial, o Windows 7 já tinha versões pirateadas que circulavam em várias lojas do movimentado mercado Xinyang, em Xangai, e, nas ruas de São Paulo, onde vendedores ambulantes comercializavam o novo sistema operacional em DVD.

Segundo adiantou à agência Lusa fonte da Microsoft Portugal, o lançamento da versão nacional é "prazo mais curto da história" entre o lançamento mundial e o português "de todos os sistemas operativos já lançados pela Microsoft".

À venda em todo o mundo desde 22 de Outubro, o Windows 7 tem como ambição, segundo então afirmou o director-geral da Microsoft, estar instalado em todo o tipo de computadores e fazer com que haja "um PC para cada utilizador e para cada contexto".

"Quando Bill Gates criou a Microsoft [há três décadas] o seu 'slogan' era que houvesse um PC em cada escritório e em cada lar. Com o Windows 7 queremos que haja um PC para cada pessoa, cada habitação e cada contexto", disse Steve Ballmer numa entrevista à agência espanhola Efe.

Segundo Ballmer, uma das principais novidades da última versão do sistema operativo da Microsoft é que "está desenhado para operar em toda a gama de computadores, desde os 'netbooks' mais simples de menos de 300 dólares, até aos computadores e plataformas mais sofisticados".

Antecipando um muito maior sucesso do Windows 7 do que o do seu antecessor Vista, que chegou ao mercado em 2007, mas só está instalado em dois entre cada 10 computadores, devido aos muitos problemas técnicos que manifestou, o director-geral da Microsoft adiantou que, "dos mais de 300 milhões de computadores que se venderão no próximo ano, mais de 90 por cento terão o Windows 7".

A estes juntar-se-ão depois as compras do programa isoladamente, com vista a actualizações de 'software' de computadores já em utilização.

O desenvolvimento da nova versão do Windows mobilizou cerca de 3.000 engenheiros, 50.000 comerciais e oito milhões de utilizadores que o testaram antes do seu lançamento, mas o facto é que, ainda antes do início da comercialização mundial do sistema, já era possível encontrar cópias piratas em países como a China ou o Brasil.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.