Tribunal norueguês legitima atribuição de licenças para petróleo no Ártico

Tribunal norueguês legitima atribuição de licenças para petróleo no Ártico

 

Lusa/AO online   Internacional   4 de Jan de 2018, 14:59

Um tribunal norueguês legitimou hoje o Governo daquele país para emitir licenças de perfuração petrolífera no Ártico, absolvendo-o num processo que tinha sido movido por várias organizações ambientalistas.

O tribunal distrital de Oslo absolveu o Governo de acusações movidas pela Greenpeace e pela Nature and Youth, que argumentaram que deixar perfurar o Ártico seria uma violação do acordo do clima de Paris e de princípios consagrados na Constituição norueguesa.

Ambas tinham posto em tribunal o Ministério do Petróleo e Energia norueguês para tentar invalidar as mais recentes dez autorizações no mar de Barents, à beira do Oceano Ártico.

Na decisão, que ainda é passível de recurso, o tribunal considerou que não houve violação da lei fundamental norueguesa ao conceder licenças aos grupos petrolíferos, incluindo a norueguesa Statoil, a americana Chevron e a russa Lukoil.

Reconhecendo o direito individual de cada um a ter o seu ambiente limpo, o tribunal decidiu que a atribuição de licenças de exploração petrolífera não violou esse direito.

Na decisão lê-se que a Noruega não pode ser responsabilizada pelas emissões carbónicas dos produtos que exporta para outros países.

A Noruega é o maior produtor de petróleo e gás natural da Europa ocidental.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.