Sala de aula encerrada no Faial devido a fungo


 

Lusa / AO online   Regional   16 de Nov de 2007, 15:03

O delegado de Saúde da Horta mandou encerrar quinta-feira uma sala de aula na Escola Básica do Capelo, ilha açoriana do Faial, devido a um alegado fungo prejudicial para as pessoas, foi revelado.
Segundo Mónica Silva, professora dos alunos do 1º e 2º anos de escolaridade da Escola do Capelo e a primeira a detectar o problema, as crianças queixavam-se de "urticária" e "comichão" em várias partes do corpo.

"Comecei a sentir uma urticária e a aparecerem borbulhas no corpo e cada vez aumentavam mais", descreveu a professora, adiantando que o problema afectou, também, seis crianças da mesma sala.

Mónica Silva disse que recorreu, por três vezes, às urgências do Hospital da Horta e que, na altura, os profissionais de saúde consideraram tratar-se de uma "alergia".

Ao fim de três semanas, o delegado de Saúde da Horta foi quinta-feira chamado à Escola e decidiu encerrar a sala de aula, provisoriamente, para desinfecção.

"Ele acha que é um fungo que existe na sala, que entra na roupa, alastrando a alergia", disse Mónica Silva, acrescentando que não se trata, no entanto, de um caso contagioso.

O problema reside, tudo indica, no soalho da sala de aula das turmas do 1º e 2º ano da Escola Básica do Capelo, parte do qual já foi substituído, por estar esburacado.

A sala foi desinfectada hoje de manhã com lixívia e as aulas recomeçam segunda-feira.

Entretanto, estão previstos para as férias de Natal trabalhos de substituição de todo o soalho da Escola Básica do Capelo.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.