Ribeira Grande mantém bom desempenho ao nível do equilíbrio orçamental

Ribeira Grande mantém bom desempenho ao nível do equilíbrio orçamental

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   16 de Out de 2018, 14:15

O município da Ribeira Grande manteve, em 2017, um bom desempenho ao nível do equilíbrio orçamental, figurando no 11.º lugar nacional e em linha com o resultado obtido no ano anterior, conforme consta do Anuário Financeiro da Ordem dos Contabilistas Certificados, revela nota da autarquia.

A Ribeira Grande destaca-se também ao nível do Resultado Económico (valores absolutos), figurando no top 30 entre os 308 municípios portugueses, com 4,3 milhões, dados que refletem o “rigor que vimos colocando na gestão dos dinheiros públicos”, destacou Alexandre Gaudêncio.


O presidente da autarquia enfatizou a subida ao quarto lugar regional no que diz respeito à independência financeira (receitas próprias/receitas totais), conseguindo a Ribeira Grande “subir uma posição em comparação com o ano anterior.”


Diz a nota que a Ribeira Grande é o terceiro concelho dos Açores que mais receitas de IMI obtém (1.820.000€), receita que representa 9% do total das receitas camarárias. No que diz respeito ao IMT, o município ocupa o segundo lugar, o que “vem comprovar a dinâmica que o concelho está a ter ao nível do setor imobiliário”, acrescentou.


A nível regional, a Ribeira Grande é o município com maior volume de receita de bens e serviços correntes, obtendo um rácio positivo na casa dos 4,5%. Recorde-se que já em 2015 a Ribeira Grande encontrava-se em terreno positivo, ou seja, tinha uma taxa de execução da receita líquida superior à taxa de execução da despesa líquida.


No que diz respeito ao grau de execução da receita cobrada, a Ribeira Grande melhorou significativamente em 2017 em comparação com o ano anterior, passando dos 92,7% para os 101,4%, subindo seis posições no ranking regional, superada apenas por Ponta Delgada.


Entre os dezanove municípios dos Açores, a Ribeira Grande apresenta-se entre os melhores no que respeito ao índice de dívida total (na ordem dos 0,66%), valor este que se obtém através da divisão entre a dívida total sobre a média da receita.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.