Portugal é dos países da UE onde menos se compra na Internet

Portugal é dos países da UE onde menos se compra na Internet

 

Lusa/AO online   Nacional   15 de Out de 2013, 10:57

Portugal é dos países da União Europeia onde menos se compra 'online', tendo apenas 35% dos utilizadores de Internet efetuado compras através deste meio em 2012, um valor muito abaixo da média europeia, de 59%, segundo o Eurostat.

 

De acordo com um inquérito hoje divulgado pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, quase 60% dos internautas europeus, com idades entre os 16 e os 74 anos, declararam ter utilizado a Internet para efetuar compras 'online' em 2012, mas em Portugal apenas sensivelmente um terço dos utilizadores de Internet o fizeram, o sexto valor mais baixo entre os 28 Estados-membros.

Os países onde as compras 'online' registaram valores mais elevados foram o Reino Unido (82%), a Dinamarca e a Suécia (79% cada), enquanto os Estados-membros com valores mais baixos foram a Roménia (apenas 11%), Bulgária (17%), Estónia e Itália (29% cada).

Relativamente a Portugal, registou-se ainda assim uma evolução desde 2008, com a percentagem de internautas que efetuaram compras na Internet a aumentar de 6% para 13% na categoria de vestuário e artigos de desporto (contra uma subida de 21 para 32% a nível da UE ), de 9% para 17% em viagens e alojamento de férias (21% para 32% na União), e de 8% para 10% na compra de livros, revistas e material de aprendizagem 'online' (comparativamente à subida de 19% para 23% no conjunto da UE).

A única categoria na qual Portugal se aproxima do resto da Europa é na compra 'online' de artigos de alimentação e mercearia – a categoria menos popular entre os internautas europeus -, tendo a percentagem aumentado de 4% para 7%, em linha com a média europeia, que subiu de 6% para 9% entre 2008 e 2012.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.