Assembleia da República

Portugal assumiu posição "sensata" ao ratificar Tratado de Lisboa sem referendo

Portugal assumiu posição "sensata" ao ratificar Tratado de Lisboa sem referendo

 

Lusa / AO online   Nacional   18 de Nov de 2009, 17:14

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, defendeu, na Assembleia da República, que Portugal assumiu "uma posição sensata" ao decidir ratificar o Tratado de Lisboa sem recorrer a referendo.
 "O Governo tomou a decisão mais sensata e mais correcta e a prova disso é a entrada em vigor do Tratado a 01 de Dezembro", afirmou Luís Amado num debate parlamentar sobre o documento e em resposta a uma intervenção da deputada do Bloco de Esquerda Cecília Honório, lembrando que foi recusada aos portugueses a possibilidade de se pronunciarem sobre a questão.

O ministro Luís Amado defendeu as alterações introduzidas no Tratado de Lisboa e argumentou que este permite tornar a Europa "mais apta" para um papel de liderança nas questões internacionais. Para sustentar esta posição, Amado apontou o reforço do cargo de alto comissário para as Relações Externas e a criação de um serviço europeu de acção externa.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.