Mobilização vai viabilizar o Lusitânia segundo Paulo Mamede

Mobilização vai viabilizar o Lusitânia segundo Paulo Mamede

 

Lusa / AO online   Basquetebol   18 de Out de 2007, 16:31

A actual "grande mobilização" em Angra do Heroísmo para viabilizar o projecto do Lusitânia vai permitir a participação dos açorianos no campeonato profissional de basquetebol, assegurou à Agência Lusa o presidente da Liga (LCB), Paulo Mamede.
A dois dias do arranque oficial do campeonato, este ano reduzido a oito clubes, depois das saídas de Queluz (por problemas económicos) e Benfica (em litígio com a LCB), o presidente da Liga, Paulo Mamede, está "absolutamente convencido" que o Lusitânia vai ultrapassar os problemas que ainda colocam algumas interrogações sobre a participação dos insulares.

"Não há nenhum 'plano b'. As coisas vão correr bem", assegurou o dirigente, acreditando que não vai repetir-se o incidente na última edição do Torneio dos Campeões, quando o Lusitânia foi substituído pelo Barreirense por não ter entregue, em tempo útil, os documentos necessários à validação da sua inscrição.

Paulo Mamede destacou que, ao contrário do que sucedeu nas vésperas do Torneio dos Campeões, que decorreu a 06 e 07 de Outubro, em Ovar, "está muito mais gente na ilha implicada para permitir o funcionamento daquele projecto".

"Além dos responsáveis do clube, existem outras entidades que estão seriamente empenhadas para que o basquetebol profissional nos Açores possa repetir os sucessos recentes", lembrou o dirigente, recordando a conquista da última Taça da Liga por parte do Lusitânia.

Neste momento, o Lusitânia está a renegociar dívidas na ordem dos 40.000 euros a alguns antigos jogadores e só poderá inscrever novos profissionais quando chegar a acordo com os credores.

"O Lusitânia tem algumas questões do passado recente para terminar de regularizar. Eu sei que os responsáveis estão a trabalhar nesse sentido e estou absolutamente convencido que vão resolver todas as questões necessárias à participação regular e normal na competição", voltou a garantir.

Sobre o campeonato que se avizinha, Paulo Mamede acredita que, apesar das contrariedades, existem condições para repetir, pelo menos, o sucesso da última temporada, que também começou "coxa", com o abandono da Oliveirense.

"O ano passado todas a gente dava a Liga como moribunda e acabámos por fazer a melhor época de sempre. Temos agora a responsabilidade de fazer, pelo menos, uma temporada tão boa como a última. É esse o meu empenho e é esse o interesse de todos os clubes participantes", frisou Paulo Mamede.

Para o presidente da LCB, não foi pela saída da Oliveirense, um histórico do basquetebol que abandonou o projecto profissional, que o campeonato "deixou de ter interesse", conseguindo mesmo "algumas das melhores afluências de público de sempre".

No que respeita à nova época, Paulo Mamede revelou que já negociou com a RTP a transmissão de 30 a 35 jogos no segundo canal da televisão estatal, estando para breve o anúncio de um acordo com outra estação.

"Estou convicto que, no total, transmitiremos cerca de 50 jogos de provas organizadas pela Liga", avançou Paulo Mamede, que também está a envidar todos os esforços para garantir o acompanhamento televisivo dos encontros da Ovarense, bicampeã nacional, na próxima Taça ULEB.

O dirigente recordou que se trata da "segunda mais importante competição europeia de clubes", pelo que a LCB "está a trabalhar" para dar visibilidade a uma presença portuguesa "de extremo interesse para a Liga e para o basquetebol português".

"É uma prova muito importante e vai mostrar, com toda a certeza, o bom nível que também temos no panorama europeu em termos de equipas", concluiu.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.