Milhares assistem a enterro de cerca de 50 pessoas mortas em ataque aéreo do exército


 

Lusa/ AO   Internacional   10 de Out de 2007, 09:21

Milhares de habitantes de zonas tribais do noroeste do Paquistão assistem hoje ao enterro de cerca de 50 pessoas mortas num bombardeamento aéreo do exército, disse um responsável local.
"Cerca de 3.000 membros de tribos reuniram-se na localidade de Ippi para rezar pelas mais de 50 pessoas mortas pelos ataques aéreos", afirmou o responsável, que não quis ser identificado.

    Mais de 200 rebeldes islamitas e cerca de 50 soldados paquistaneses morreram desde domingo em ataques aéreos e combates terrestres, alguns considerados os mais mortíferos nas zonas tribais do Paquistão desde que os talibãs afegãos, banidos do poder em Cabul no final de 2001, se instalaram na zona com os aliados da rede terrorista da Al-Qaida.

    Mas as bombas lançadas terça-feira por aviões fizeram dezenas de vítimas civis, entre as quais mulheres e crianças, afirmaram habitantes da localidade de Mir Ali, no distrito do Waziristão Norte.

    "Os bombardeamentos aéreos visavam combatentes (islamitas) e 50 morreram", garantiu o porta-voz do exército, general Waheed Arshad, que acusou os rebeldes de usar civis como escudos humanos para atacarem militares.

    Desde domingo, a maior parte dos 50.000 habitantes de Mir Ali fugiu de casa depois da destruição de 50 habitações, segundo os residentes, que relatam estarem ainda cadáveres sob as ruínas das casas de Ippi, terra natal de um chefe tribal que combateu as tropas coloniais britânicas e depois o exército paquistanês, antes de morrer, em 1960.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.