Próximo dos cem anos

Manoel Oliveira tem novo filme


 

Lusa/AOonline   Nacional   6 de Dez de 2008, 17:03

A dias de completar cem anos, Manoel de Oliveira explicou hoje que vai filmar no aniversário por necessidade, tem um novo filme em vista e qualificou como "mal-entendido" o projecto para a casa em seu nome.
Nascido a 11 de Dezembro de 1908, o mais antigo realizador do mundo ainda em actividade prepara-se para soprar cem velas já na próxima quinta-feira a rodar as cenas finais do seu último filme "Singularidades de uma rapariga loira".

    No entanto, fá-lo por necessidade e não por opção.

    "Não foi uma data escolhida para filmar nesse dia, há uma necessidade imperiosa de filmar nesse dia para dar continuidade às filmagens e porque este filme tem um certo destino para ser apresentado no festival de Berlim que é de 05 a 10 de Fevereiro, de maneira que temos muito pouco tempo para fazermos a montagem", explicou Manoel de Oliveira durante uma conferência de imprensa para apresentar o seu filme.

    Perante jornalistas de várias nacionalidades, entre espanhóis, ingleses, brasileiros e japoneses, o cineasta revelou que já tem pensado o seu próximo filme.

    "Tenho um próximo que gostaria de fazer também como uma atitude de gratidão com o festival de Cannes, gostava de apresentar um filme que se intitulará "O estranho caso de Angélica", que é um filme do principio dos anos 50, depois da guerra, e que eu actualizei para hoje e que se fundamenta na fuga dos judeus de Hitler e que agora se baseia na fuga contra a perseguição dos judeus contra os muçulmanos", adiantou o realizador.

    Questionado sobre possíveis desenvolvimentos em relação à casa com o seu nome, no Porto, onde seria colocado o seu acervo, Manoel de Oliveira disse nada saber, mas entende que esta é "uma situação extremamente grave" e que o processo com a Câmara Municipal do Porto "não tem sido verdadeiramente correcto".

    "Houve sempre um mal entendido e já passaram três presidentes de Câmara e o assunto ficou por resolver e agora como estou com o meu nome mais exaltado graças aos jornalistas também querem entrar no bolo e como estamos próximos de eleições, tudo isto é uma confusão enorme, mas no fundo não sei nada", rematou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.