Leitura

Livros da biblioteca chegam a escola privada

Livros da biblioteca chegam a escola privada

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Dez de 2008, 09:49

Um vez por mês os livros da Biblioteca Pública de Ponta Delgada, nos Açores, vão ao encontro de um grupo de cem alunos de um colégio privado, que participam num projecto inovador destinado a criar novos leitores.
Durante três anos, as crianças envolvidas no projecto "Livros Papa Léguas" vão conviver de perto com várias obras literárias e contaminar os pais com "a semente do bichinho da leitura".

    A chefe de divisão da Biblioteca Pública de Ponta Delgada, Iva Matos, adiantou à agência Lusa que o projecto arrancou em Novembro na ilha de São Miguel e envolve crianças, com idades entre os sete e oito anos.

    "Todos os meses levamos malas com livros para a escola e cada aluno pode escolher livremente o que mais gosta para levar para casa e ler em família", afirmou Iva Matos, revelando que só no primeiro mês do projecto foram emprestados 200 livros.

    Segundo explicou a técnica, o projecto em curso no arquipélago foi inspirado noutro, que decorreu na biblioteca de Beja, intitulado "Livros Andarilhos" e que assenta em três vértices: biblioteca, escola e família.

    "O objectivo final é criar e fidelizar leitores à biblioteca, que em Ponta Delgada dispõe de cerca de 100 mil títulos. Acho que é uma pena o público não tirar partido desse espólio", frisou Iva Matos, que está convencida que este projecto vai dar bons frutos a longo prazo.

    Além do empréstimo de livros, uma vez por mês um grupo de 25 alunos, dos cem que integram o projecto, realizam uma visita à biblioteca para participarem numa das 14 oficinas de promoção do livro e leitura que a instituição tem em funcionamento.

    "Os professores escolhem a oficina mais adequada e efectuam a marcação prévia", disse Iva Matos, acrescentando que também são os docentes que escolhem com os técnicos da biblioteca as obras mais adequadas para serem lidas pelas crianças em família.

    Iva Matos anunciou que durante as férias de Natal os participantes no projecto vão ser desafiados a vir à biblioteca acompanhados pelos pais para efectuarem uma pesquisa e fazerem o respectivo cartão de leitor, que lhes possibilita levar para casa até três livros em simultâneo.

    "É difícil formar novos leitores até porque não sabemos ainda bem qual é o caminho. Não há modelos certos. Mas uma coisa é certa, se apostarmos nas crianças e na leitura precoce antes de elas saberem ler conseguimos conquistar alguns leitores", afirmou a técnica, para quem o projecto em curso vai servir como mais um "laboratório".

    A Biblioteca Pública de Ponta Delgada, criada em 1841, desenvolve, ainda, outros projectos pontuais dirigidos a utentes dos três aos 18 anos com o objectivo de promover o livro e a leitura.

    Iva Matos adiantou que as 14 oficinas do serviço sócio educativo da biblioteca cobram 80 por cento das escolas da ilha de São Miguel, num universo de 177 estabelecimentos de ensino.

    "Estas oficinas podem ser frequentadas mediante marcação prévia", explicou a técnica, apontando como exemplo uma que se destina a formar os utilizadores da instituição, nomeadamente, a consultar a base de dados on-line e a procurar os livros nas prateleiras.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.