Presidência Portuguesa da UE

José Sócrates preside à cimeira UE/ASEAN

José Sócrates preside à cimeira UE/ASEAN

 

Lusa / AO online   Internacional   16 de Nov de 2007, 10:48

O primeiro-ministro português, José Sócrates, preside na próxima quinta-feira, pela União Europeia (UE), à Cimeira Comemorativa dos 30 anos de diálogo entre a UE e a Associação dos Países do Sudeste Asiático (ASEAN), anunciou este organismo.
No encontro, que decorrerá em Singapura - país que assegura actualmente a presidência rotativa da ASEAN - deverá ser aprovado o Plano de Acção para Implementar a Parceria Alargada ASEAN-UE, disseram fontes do Secretariado Permanente do bloco asiático, com sede em Jacarta, capital da Indonésia.

A UE é o mais antigo parceiro do bloco de dez países do sudeste asiático (Birmânia, Brunei, Cambodja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Singapura, Tailândia e Vietname), com os dois lados a assinar em Julho de 1977 o tratado de Relações de Diálogo UE-ASEAN.

"As relações de diálogo entre os duas partes têm-se desenvolvido de forma rápida e expandiram-se para um grande número de áreas, incluindo política e segurança, comercio, cooperação para o desenvolvimento e nos sectores culturais e sociais", refere um documento que o secretariado permanente da ASEAN hoje enviou à imprensa.

O plano de acção deverá definir as vias para o aprofundamento da cooperação entre a Europa e Sudeste Asiático em áreas como políticas de segurança, expansão das relações económicas e comerciais e permitir maior interacção em questões como energia e ambiente, segundo o mesmo documento.

Na cooperação económica, Bruxelas e o bloco de países do Sudeste Asiático assinaram também a Iniciativa Trans-regional UE-ASEAN para o Comércio (TREATI, na sigla inglesa), um processo de diálogo político que, segundo o secretariado da ASEAN "cria as bases para um genuíno Acordo de Comércio Livre entre as duas partes no futuro."

    Nas últimas duas décadas, a UE foi um dos três principais destinos das exportações dos países da ASEAN. A Europa é o destino de 15 por cento das exportações do bloco e a origem de 13 por cento dos bens importados pelos países do sudeste asiático.

A ASEAN quer no entanto intensificar as relações económicas e comerciais, uma vez que a região, segundo estatísticas europeias, representa apenas 5 por cento do total do comércio externo da UE.

Apesar do investimento europeu representar cerca de um quarto do investimento directo estrangeiro que entra na ASEAN, menos de cinco por cento do total do investimento estrangeiro da UE vai para o sudeste asiático.

Em termos de política de segurança, os dois lados assinaram em 2003 uma declaração conjunta sobre terrorismo e identificaram depois as áreas de gestão e vigilância de fronteiras e de segurança de documentos como os sectores prioritários para a intensificação da cooperação.

No quadro da ASEAN, a UE destinou também cerca de 80 milhões de euros para cooperação para o desenvolvimento nos países do sudeste asiático, em áreas como energia e ambiente, ensino superior e formação de recursos humanos, direitos de propriedade intelectual e padrões de qualidade.

Os dois blocos identificaram também sectores como o tráfico de seres humanos, alterações climáticas, sociedade da informação, saúde animal e doenças transmissíveis como sectores prioritários para novas acções de cooperação para o desenvolvimento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.