Voleibol

João Fernandes quer aliar a quantidade à qualidade

João Fernandes quer aliar a quantidade à qualidade

 

Susete Rodrigues   Voleibol   13 de Out de 2009, 11:58

O novo director técnico da Associação de Voleibol de São Miguel vem reforçar o trabalho já desenvolvido a nível de treino técnico dos jovens por forma a que a modalidade continua numa crescente evolução com tem vindo a acontecer
João Fernandes é o novo director técnico da Associação de Voleibol de São Miguel, sendo quer o anterior, Luís Magalhães irá manter-se como parceiro.
João Fernandes foi atleta de voleibol, tendo interrompido devido aos estudos.

No regresso a São Miguel, surgiu então este convite por parte da AVSM, com o objectivo de reforçar o trabalho desenvolvido ao nível do treino técnico dos jovens, por forma a que se possa manter o crescente qualitativo da modalidade.

Segundo nota informativa, o trabalho do novo director técnico debruçar-se-á “ao nível do lançamento de novos projectos, ou seja, tudo o que esteja relacionado com o treino e a competição. É nesta vertente que a modalidade tem evoluído nos últimos tempos com um crescente número de equipas nas camadas jovens. Ao trabalho quantitativo queremos juntar a qualidade e é nesse aspecto que vou intervir”.

Tendo em conta que nos últimos anos o número de praticantes tem vindo a crescer, principalmente nos escalões de minis e escolinhas, e nos seguintes,  o que a AVSM pretende é “começar a lançar as bases para que nos escalões de juvenis e juniores já possuam uma base técnica e um conjunto de conhecimentos tácticos que lhes permitam evoluir mais do que há uns anos atrás”, refere.

De atleta a treinador e professor, as maiores diferenças, em 10 anos, que João Fernandes encontra é a preocupação que existe no que diz respeito ao nível de formação dos agentes não praticantes.

“Neste momento e vendo do ponto de vista da Associação, é possível perceber uma maior preocupação ao nível da formação dos agentes não praticantes, ou seja, dirigentes, treinadores e árbitros”, sublinha para acrescentar que a “formação de dirigentes também tem sido uma aposta forte, porque para além de ser importante termos pessoas que gostam da modalidade, também é necessário estarem munidas das ferramentas organizacionais”.

Para além disso “nesta época vamos centrar atenções no curso de treinador de Nível I que, neste momento, já tem um número elevado de inscritos, o que para nós é fundamental porque é a forma de trazermos as pessoas que estão interessadas em iniciar a sua actividade como treinadores, como são os casos de atletas jovens. Com essa adesão podemos evoluir para o curso de Nível II num futuro próximo”, afirmou.

João Fernandes faz ainda referência ao facto de “hoje, o voleibol está estendido a toda a ilha e é cada vez maior a preocupação dos jovens em melhorarem a sua qualidade. Recordo, também, que quando jogava a competição estava circunscrita a dois clubes. Actualmente, existem muitos mais clubes espalhados por toda a ilha em condições de discutirem os lugares de topo”, finalizou o director técnico.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.