Inatel vai construir 20 centros de férias nos Açores

Inatel vai construir 20 centros de férias nos Açores

 

Lusa/AO   Regional   6 de Set de 2008, 12:52

O Inatel está a ultimar vários projectos em parceria com municípios para a construção de dois hotéis e três novos centros de férias no continente e 20 centros nos Açores, disse à Lusa o presidente cessante da instituição, Alarcão Troni.

No Parque do Montezinho, em Bragança, está prevista a construção de um hotel de montanha, enquanto o município de Santa Comba Dão "está interessado num centro de férias" junto à barragem da Aguieira.

    A câmara de Castanheira de Pêra pretende construir também um centro de férias na praia fluvial das Rocas, integrando os municípios circundantes: Lousã, Castanaheira, Góis, Pampilhosa da Serra e Figueiró dos Vinhos.

    "Toda essa zona do Pinhal e da Lousã seria beneficiada no seu comércio e restauração, bem como os itinerários turísticos da Serra da Lousã, que teriam como base o centro de férias de Castanheira de Pêra", salienta Alarcão Troni.

    A câmara de Macedo de Cavaleiros também está interesada num centro de férias e num parque de campismo na Praia fluvial da Barragem do Azibo, onde o Inatel já explora um centro de desporto-aventura virado para os desportos náuticos, onde são monitores um casal de ucranianos, que foram atletas olímpicos da Ucrânia, de canoagem e natação.

    O presidente cessante do Inatel revelou ainda que está "em fase de finalização um acordo" com o Refúgio Amboim Ascensão, de Faro, uma ONG de protecção de crianças desfavorecidas, tendo em vista um centro de desporto e aventura "no melhor local de Portugal, a Ilha de Faro".

    Também em fase de conclusão com a câmara municipal de Alenquer, uma parceria que visa a recuperação por parte daquele município do Palácio dos Condes de Migra, património classificado e em degradação, na Quinta do Brandão, onde o Inatel instalará a secção portugesa do CIOFE - Conselho Internacional de Organizações de Folclore e Artes Tradicionais.

    Toda esta série de novas instalações de turismo social, acompanha a dinâmica de vários protocolos que o Inatel estabeleceu a nível internacional, com organismos congéneres, das Ihas Baleares (Espanha), da Grécia, do Brasil, França e Bélgica.

    Além disso, o Inatel pretende dar prioridade nacional aos Açores em termos do seu objecto de turismo social, tendo acordos com os três principais municípios dos Açores para estabelecer 20 centros de turismo, que "permitam levar a classe média trabalhadora continental ao arquipélago", apoiar também os programas séniores e solidários, e suprir actual falta infraestruturas.

    A curo prazo está previsto um hotel de turismo social na ilha Graciosa e uma pousada na ilha das Flores, cada um com 50 quartos e 100 camas.

    Segundo Alarcão Troni, o governo regional propôs uma parceria para gestão das duas unidades, estando o "hotel da Graciosa já em construção e o das Flores em projecto", funcionando o modelo das parcerias que o Inatel tem com os municípios do Continente.

    Por outro lado, a Fundação Inatel já está a fazer a gestão do programa de turismo sénior regional, "um êxito, designado por Açores 60 Mais", que " visa atenuar a dupla e a tripla insularidade", fazendo com que habitantes das ilhas se visitem entre si

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.