Educação

Governo quer incentivar o "amor à escola"

Governo quer incentivar o "amor à escola"

 

Lusa/AO online   Nacional   12 de Set de 2008, 12:55

O primeiro-ministro afirmou que a intenção do Governo ao restaurar a tradição do "Dia do Diploma" se destinou a premiar o mérito dos alunos, a valorizar o "amor à escola" e aumentar a confiança dos professores.
José Sócrates falava no Escola Secundária José Gomes Ferreira, em Benfica, depois de entregar diplomas a alunos que concluíram o 12º ano, numa sessão em que os melhores estudantes dos cursos humanístico-científicos e da área profissional tecnológica receberam um prémio pecuniário de 500 euros.

    Com o vereador da Câmara de Lisboa Marcos Perestrello e os secretários de Estado Valter Lemos e Fernando Medina ao seu lado, o primeiro-ministro entregou os prémios aos jovens Inês Barreto e a Tiago Antunes.

    "Esta cerimónia destina-se a restaurar uma tradição em Portugal de homenagear os alunos que acabam o 12º ano, premiando o seu mérito e esforço", referiu José Sócrates na sua intervenção.

    "O mérito e o sucesso devem ser distinguidos", frisou.

    No seu discurso, feito de improviso, José Sócrates salientou a importância das famílias no acompanhamento da actividade escolar dos alunos e vincou a crescente exigência do mercado de trabalho.

    "Com este 'Dia do Diploma' queremos dar um sinal de que a conclusão do 12º ano de escolaridade é indispensável para se entrar no mercado de trabalho. Hoje é preciso saber-se muito para se entrar no mercado de trabalho", reforçou.

    De acordo com o primeiro-ministro, com a entrega de diplomas aos alunos que concluíram o 12º ano de escolaridade, o Governo pretendeu também atingir o objectivo de "restaurar o amor à escola", incentivando "o sentimento de partilha e de pertença à escola".

    "Este dia pretende também restaurar a confiança dos professores em si próprios. Não há nada melhor para um professor do que ver o sucesso dos seus alunos", disse.

    No plano político, o chefe do Governo sustentou ainda que Portugal "está a dar passos seguros para ter uma educação melhor" e aludiu a mudanças operadas ao nível do investimento na modernização de estabelecimentos de ensino e na acção social escolar.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.