Governo dos Açores critica centralização de decisões sobre desenvolvimento rural

Governo dos Açores critica centralização de decisões sobre desenvolvimento rural

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Jul de 2018, 14:36

O presidente do Governo Regional dos Açores criticou esta quarta-feira a centralização, por parte de Bruxelas, das decisões relativas ao desenvolvimento rural, defendendo que estas matérias devem ser decididas ao nível local.

Durante a apresentação do projeto de beneficiação do Caminho do Facho, na ilha de Santa Maria, onde o executivo regional se encontra em visita estatutária, Vasco Cordeiro defendeu que "a região tem um histórico de boa utilização de fundos comunitários dirigidos à agricultura”, razão pela qual condena a proposta da Comissão Europeia para o desenvolvimento rural, considerando que esta é uma matéria essencial e que deve ser decidida a nível local.

A luta contra a centralização das decisões sobre esta matéria deve ser “feita por todos”, afirmou o presidente do Governo Regional.

O projeto de beneficiação do Caminho do Facho implica um investimento de 1,3 milhões de euros e prevê a melhoria de um troço de 4,5 quilómetros que permitirá o acesso a três dezenas de explorações agrícolas.

O projeto “insere-se num processo que tem sido feito de dotar a ilha de Santa Maria, à semelhança, aliás, das restantes, de infraestruturas necessárias de apoio à atividade agrícola”, afirmou o líder do executivo açoriano.

Outras intervenções de melhoria dos acessos, feitas na ilha de Santa Maria, já têm vindo a beneficiar diversas explorações agrícolas.

Nos últimos dez anos, o Governo Regional investiu cerca de 25 milhões de euros na construção de uma rede de caminhos com uma extensão de mais de 1600 quilómetros em toda a região.

Os investimentos para a área das atividades agrícolas incluem também planos para o abastecimento de água à lavoura.

O Instituto Regional de Ordenamento Agrário (IROA) está a preparar “uma avaliação das necessidades de abastecimento de água à lavoura, para toda a região, nos próximos dez anos, fruto de um conjunto de documentos que o Governo tem aprovado, como o Plano Regional para as Alterações Climáticas”, garante Vasco Cordeiro.

Este ano já foi feito um investimento de 1,5 milhões de euros para acautelar o abastecimento de água às explorações agrícolas do arquipélago, um valor que se enquadra num investimento superior a 26 milhões de euros, feito ao longo dos últimos dez anos.

Em relação ao esforço do Governo Regional para apoiar o desenvolvimento do setor agrícola, Vasco Cordeiro ressalvou que, “mais do que a constatação daquilo" que já foi feito, o que releva "é a constatação daquilo que ainda falta fazer”.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.