FLAD anuncia iniciativas

FLAD anuncia iniciativas

 

Lusa / AO online   Regional   11 de Out de 2007, 18:39

O Conselho Executivo da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) anunciou hoje em Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, a implementação de dez iniciativas que envolvem os Açores, os EUA e Portugal continental.
    No final da sua primeira reunião realizada fora da sua sede em Lisboa, Rui Machete, presidente do Conselho Executivo da FLAD, sublinhou “o aprofundamento e intensificação da actividade da fundação junto dos Açores”.

    “Nós sempre apoiámos projectos dos Açores, ainda que tenhamos de reconhecer que nem sempre a nossa acção tenha tido uma visibilidade pública adequada, o que vai passar a acontecer”, garantiu.

    Rui Machete destacou a realização de um Fórum Açoriano denominado “Franklin Delano Roosevelt”(antigo Presidente dos EUA), que se vai responsabilizar pela organização, no próximo ano, de um congresso internacional sobre “Política Internacional”.

    O Congresso vai decorrer, entre 16 e 18 de Julho, na ilha de São Miguel para debater as Relações Transatlânticas e a opinião pública da Europa e da América.

    O congresso deverá ter uma periodicidade bienal, devendo, posteriormente, decorrer em Angra do Heroísmo e Horta, respectivamente.

    Paralelamente, será realizada uma exposição sobre F. Roosevelt, que esteve nos Açores, durante a I Guerra Mundial, como secretário-adjunto da Marinha, organizada pela biblioteca americana que tem o seu nome.

    No âmbito do congresso, será ainda lançado um livro sobre Roosevelt, a Europa e os Açores nas duas guerras mundiais, organizado pelo Instituto Português de Relações Internacionais e financiado pela FLAD.

    Por seu turno, o administrador Mário Mesquita revelou que vai, também, realizar-se um acordo de mobilidade, denominado “Antero de Quental”, que envolve universidades americanas, a FLAD e a Universidade dos Açores para a cooperação entre professores e alunos.

    Em preparação está, igualmente, o programa “Alfredo Mesquita”, um açoriano que foi diplomata e escreveu sobre a América, destinado a jornalistas açorianos que, em paralelo com um programa destinado a jornalistas do continente e Madeira, visitarão a América durante um mês.

    Os projectos incluem, ainda, uma investigação sobre a “Identificação dos Perigos Vulcânicos no Arquipélago dos Açores”, cooperação entre os departamentos de Economia da universidade açoriana e americanas, cursos de liderança e exposições e de turismo e hotelaria para professores desta área.

    A FLAD, disse ainda Mário Mesquita, vai financiar em 50 por cento a primeira História dos Açores, feita em contexto universitário e académico, promovida pelo Instituto Açoriano de Cultura e dirigida pelos investigadores, Teodoro de Matos, Avelino Meneses e Reis Leite.

    O administrador americano da fundação, Charles Buchanan, manifestou-se particularmente interessado “nas questões ambientais” e nos projectos ligados “às ciências do mar, nomeadamente com o Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores” com que tem cooperado.

    Garantiu que “a informação sobre todas as iniciativas da FLAD passarão a ser profusamente divulgadas pelos meios de informação da região, para que o maior número de pessoas possa ter acesso aos programas de apoio”.

    Charles Buchanan apelou para que “possa ser visível o empreendedorismo dos açorianos para que possam ser reforçadas as iniciativas e a cooperação”.

    A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) já tinha anunciado, anteriormente, que vai promover a partir de 2008 um programa de estágios profissionais nos Estados Unidos, destinado a recém formados e trabalhadores açorianos.

    O programa de estágios em empresas americanas, que se destina a jovens recém formados (por Universidades e Escolas Profissionais) e quadros de topo das principais empresas e grupos económicos da região, terá como sectores prioritários o turismo, obras públicas e construção civil, energia e ambiente, novas tecnologias e ambiente.

    Também já decorreu uma reunião exploratória entre a FLAD e os presidentes das Câmara do Comércio dos Açores destinada à possível implementação de estágios e cursos de profissional nos Estados Unidos da América.

    A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento foi criada em 1985 com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento económico e social português, através da cooperação entre Portugal e os Estados Unidos nos domínios empresarial, educativo, científico, tecnológico e cultural.

    Entre 1985 e 2006, a FLAD investiu mais de 110 milhões de euros no apoio a cerca de 12 mil projectos.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.