Saúde

Estudo vai determinar número de diabéticos em Portugal


 

Lusa / AO online   Nacional   14 de Nov de 2007, 11:36

Um estudo nacional para determinar quantos diabéticos existem em Portugal vai começar no próximo mês e deverá estar concluído em 2008, segundo a Sociedade Portuguesa de Diabetologia, que estima determinar uma taxa de prevalência de nove por cento.
De acordo com o presidente da Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD), Luís Gardete Correia, o estudo epidemiológico irá ser feito em 100 locais do país e abrangerá entre três e quatro mil pessoas.
Os exames, que devem demorar seis meses, serão realizados nos centros de saúde e os resultados devem ser conhecidos ainda durante o próximo ano.
"Conseguiremos perceber quantos diabéticos existem, quantos não sabem que são diabéticos e quantas pessoas estão em risco de vir a ser diabéticas. É a primeira vez que se realiza um estudo epidemiológico que abrange o país inteiro", explicou à agência Lusa Gardete Correia.
Os últimos dados do Inquérito Nacional de Saúde do Instituto Ricardo Jorge estimavam que 6,7 por cento dos portugueses são diabéticos. Mas esta análise foi feita com base em questionários em que os inquiridos auto-declaravam as suas doenças.
"Esperamos um número maior do que o determinado pelo Inquérito Nacional de Saúde, que foi feito na base da auto-referência. Esperamos encontrar uma prevalência à volta dos nove por cento", disse o presidente da SPD.
A realização deste estudo epidemiológico com representatividade nacional e regional é um dos objectivos consagrados no novo Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Diabetes, aprovado na semana passada pelo ministro da Saúde.
O Programa prevê ainda a realização de auditorias à qualidade da prestação de cuidados de saúde aos diabéticos e a avaliação da qualidade clínica do seguimento dos doentes nos cuidados de saúde primários e nos cuidados hospitalares.
Segundo o coordenador do Programa, o médico diabetologista José Boavida, a promoção da realização destas auditorias tem de ser feita junto das administrações regionais de saúde e da Direcção-Geral de Saúde.
A avaliação clínica da qualidade dos cuidados prestados aos diabéticos nos cuidados primários de saúde deve analisar, nomeadamente, os registos individuais e a prescrição terapêutica que é feita.
O novo Programa Nacional estabelece ainda que, até ao fim do primeiro trimestre de 2009, seja criado um sistema de informação nacional que identifique as instituições que prestam cuidados aos diabéticos e que quantifique os encargos financeiros decorrentes do tratamento e prevenção da doença.
Até ao final do próximo ano, os profissionais de saúde devem realizar inquéritos que permitam identificar grupos acrescidos de desenvolver diabetes, para posterior rastreio.
O Programa determina ainda a criação de manuais de boas práticas na vigilância da diabetes para os cuidados primários, hospitalares e cuidados integrados, que deverá estar elaborado até ao final de 2009.
Ao nível dos cuidados hospitalares, este manual vai ter orientações técnicas para a organização de consultas de alto risco obstétrico para diabetes e de consultas de pé diabético (lesão que se encontra nas pernas ou pé dos diabéticos e que podem causar infecções difíceis de tratar).
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.