Faro

Descoberta sepultura romana com cerca de 2000 anos

 Descoberta sepultura romana com cerca de 2000 anos

 

Lusa / AO online   Nacional   14 de Nov de 2007, 16:38

Uma sepultura romana com cerca de dois mil anos foi descoberta  num largo situado no centro de Faro quando se procediam a obras de requalificação urbana, disse à Lusa fonte do município.
A sepultura, situada no Largo 25 de Abril, faz parte da antiga necrópole (cemitério) da cidade romana de Ossónoba, activo entre os séculos I e IV dC (depois de Cristo), que ocupa boa parte da actual baixa de Faro, disse à Lusa a directora do Museu Municipal da capital algarvia, Dália Paulo.

O túmulo, em pedra trabalhada, deverá ser retirado do local e exumado no início da próxima semana, mas os passos a dar agora deverão ser decididos numa reunião entre técnicos da Câmara e do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR).

Depois o sepulcro deverá ser estudado e fotografado, após o que passará a fazer parte do espólio do Museu Municipal de Faro.

O achado segue-se a outros que têm ocorrido pontualmente na zona da necrópole romana, que se situa entre a actual Pontinha e o Largo das Mouras Velhas, a oeste do Largo 25 de Abril.

Em Julho deste ano foram descobertas outras três sepulturas - dos séculos III e IV - no Largo das Mouras Velhas, durante as escavações arqueológicas que antecedem a construção de um parque de estacionamento subterrâneo, que ali terá lugar.

O maior achado ocorreu durante a construção da cave de um edifício entre o Largo 25 de Abril e o Largo da Pontinha, há cerca de três anos, que se consubstanciou em 87 sepulturas, disse à Lusa um especialista no local.

Curiosamente, observou, durante a construção do parque de estacionamento subterrâneo da Pontinha, a escassos metros daqueles edifícios, não foi descoberto qualquer túmulo.

Antes, em 1878, o arqueólogo Estácio Veiga descobriu no mesmo local 38 sepulturas e cerca de 60 anos mais tarde foi Abel Viana que escavou mais sete túmulos daquela necrópole, na Rua D. João de Castro.

Estendendo-se no triângulo definido pela Vila Adentro (cidade velha), zona ribeirinha e Largo das Mouras Velhas, a cidade de Ossónoba era a mais importante do sul lusitano entre Cadiz e Lisboa (Olissipo).
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.