Açoriano Oriental
Covid-19: Marcelo pede atenção à coesão social na aplicação dos fundos europeus

O Presidente da República pediu esta sexta feira que se tenha atenção à coesão social na aplicação dos fundos europeus, para não se agravar ainda mais as desigualdades em Portugal, referindo que tem pensado bastante neste assunto.

Covid-19: Marcelo pede atenção à coesão social na aplicação dos fundos europeus

Autor: AO Online/ Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem num discurso durante uma cerimónia de inauguração da exposição e lançamento do livro "A cidade que não existia", de Alfredo Cunha, na Galeria Municipal Artur Bual, na Amadora.

A propósito das fotografias de Alfredo Cunha que retratam o atual período de pandemia de covid-19, o chefe de Estado considerou que estes fenómenos também servem para "tornar mais patente o que no dia a dia está oculto", como o envelhecimento da sociedade portuguesa e "o egoísmo das crises, a solidão das grandes urbes, a dificuldade de encontrar novas formas de solidariedade social para além das clássicas".

O Presidente da República defendeu que não se pode ignorar "as pessoas de carne e osso" e, referindo-se aos fundos europeus, acrescentou: "Milhões, é preferível tê-los do que não tê-los e é ótimo tê-los. Mas é completamente diferente utilizá-los olhando para a necessidade de aumentar a coesão social, ultrapassar as desigualdades e, portanto, reforçar o tecido social, todo ele, do que de repente descobrirmos que os milhões serviram para uma parte da sociedade dar um salto brutal e outra parte ficar mais atrás".

"E eu tenho pensado um bocadinho nisso, para não dizer que tenho pensado muito nisso. E esse é um equilíbrio fundamental a fazer entre o que são os projetos verdadeiramente desbravadores do futuro, de ponta, que temos de ter, e depois aquilo que é o lastro social que, se não ganha em coesão social, puxa o resto para trás, tirando uma minoria muito minoria", reforçou.

Quanto à evolução da covid-19, declarou: "No fundo, nós estamos a meio de um caminho. Desejaríamos estar na ponta final do caminho, mas suspeitamos que estamos a meio do caminho".

Marcelo Rebelo de Sousa apontou o livro de Alfredo Cunha sobre a cidade da Amadora como "um grande contributo comunitário" e descreveu este fotógrafo como "daqueles militantes pela democracia de quem não se fala mas que faz uma militância que é fundamental, como toda a gente que trabalha na comunicação social".

"Ele anda há décadas a servir a democracia através das suas fotografias. São gestos de intervenção política, olhando por dentro das pessoas", elogiou.

A pandemia de covid-19, novo coronavírus detetado em dezembro do ano passado no centro da China, atingiu 196 países e territórios.

Em Portugal, já morreram com esta doença 1.855 pessoas, num total de 62.813 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim de hoje da Direção-Geral da Saúde.



 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.