Açoriano Oriental
Centros de saúde iniciam vacinação contra a gripe e reforço da Covid

A partir de terça-feira, centros de saúde terão casa aberta para vacinação contra a gripe e reforço sazonal da Covid-19. Unidade de Saúde de Ilha aconselha a que se faça o agendamento

Centros de saúde iniciam vacinação contra a gripe e reforço da Covid

Autor: Paula Gouveia

Os centros de saúde começam a vacinar, em regime de casa aberta, na próxima terça-feira, dia 4 de outubro, contra a Covid-19 (quarta dose) e contra a gripe.

Flávio Vieira, enfermeiro da Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel (USISM) responsável pela vacinação, explica que a administração, em simultâneo, da quarta dose da vacina contra a Covid-19 e da vacina contra a gripe iniciou-se pelos grupos mais vulneráveis, nomeadamente pelos utentes e profissionais das estruturas residenciais para idosos (ERPI), mas “a partir do dia 4 de outubro vamos abrir a possibilidade à restante população elegível”.

Cada centro de saúde terá, nas suas instalações, um “centro de vacinação”, a funcionar durante o seu horário de expediente”, ou se necessário em horário prolongado (decisão será de cada centro de saúde em função das necessidades), explica Flávio Vieira.

E a vacinação contra a gripe e contra a Covid-19 irá decorrer em regime de casa aberta, “mas estará limitada à capacidade diária de vacinação de cada centro de saúde”, uma vez que, “num dia, podemos ter mais profissionais ao serviço, e noutro podemos ter menos”, alerta o responsável.

Por essa razão, “aconselha-se a população a que faça o agendamento da vacinação”, salienta o responsável.

É preciso, contudo ter em atenção que nem todos podem tomar a quarta dose da vacina contra a Covid-19 - uma circular da Direção Regional da Saúde definiu os grupos elegíveis para o reforço vacinal contra a Covid-19 (ver caixa). Sendo ainda de salientar que, enquanto o quarto reforço vacinal contra a Covid-19 pode ser tomado por quem tem mais de 60 anos, só quem tem mais de 65 anos tem direito à vacina contra a gripe gratuita, a par de grávidas e pessoas com determinadas patologias (doentes crónicos e imunodeprimidos), residentes em ERPI e outras instituições, e profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados.

Flávio Vieira sublinha, contudo, que a toma da vacina contra a gripe é recomendada também a quem tem mais de 60 anos, sendo que abaixo dessa idade também se pode fazer a vacina da gripe, contudo o utente tem de ter uma prescrição médica e comprar a vacina na farmácia, dirigindo-se depois ao centro de saúde para a sua administração.
O responsável pela vacinação na USISM deixa ainda um alerta a quem não é seguido no centro de saúde e sofra de alguma das patologias em que a vacina contra a gripe e a Covid-19 é recomendada: nestes casos, deverá trazer uma declaração médica a atestar que sofre da patologia em causa (há um formulário disponível online), porque nestes casos o sistema informático do centro de saúde não tem registada a sua patologia.

Deverá ainda ser tido em atenção que o reforço vacinal contra a Covid-19 só pode ser feito passados três meses da última dose da vacina ou de um estado positivo.

A USISM espera receber no total cerca de 13 mil doses da vacina contra a gripe, revela o enfermeiro responsável pela vacinação na USISM. Já o número de doses da vacina contra a Covid-19 tem sido fornecido de forma progressiva, à medida da disponibilidade dos serviços partilhados do Ministério  da Saúde. “É com base no número de doses que nos vão fornecendo que vamos estabelecendo prioridades e vamos organizando o processo de vacinação”, ressalva Flávio Vieira.

O enfermeiro explica ainda que a vacina contra a Covid-19 dá imunidade contra a nova variante, e que, “este ano, estamos a usar dois tipos de vacinas: uma, mais cara, com uma dose elevada especificamente para os utentes dos lares e idosos institucionalizados; e uma outra vacina para a população em geral”. Flávio Vieira diz que o objetivo é garantir “uma maior imunidade a um grupo populacional que por si só é mais vulnerável, quer individualmente, quer por poder ser um foco de infeção para os outros residentes”.

O enfermeiro recorda que a vacinação contra a Covid-19 tem estado a funcionar em regime de casa aberta para quem não iniciou o esquema vacinal contra a Covid-19 e para quem ainda não tem o esquema vacinal completo (três doses).


Quem pode tomar a quarta dose da  vacina da Covid-19?

Poderão ser vacinadas as pessoas com mais de 60 anos, e ainda profissionais de saúde, bombeiros que fazem o transporte de doentes, profissionais das Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas, Casas de Saúde, Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados, Estabelecimentos Prisionais, Lares Residenciais, e Centros de Atividades Ocupacionais. E, ainda quem, tendo mais de 12 anos e menos de 60 anos possua determinadas patologias de risco, entre as quais diabetes, obesidade, neoplasia maligna ativa, doença cardiovascular, transplantação, imunossupressão, doenças neurológicas, doença renal crónica, doença pulmonar crónica, doenças mentais, e doença hepática crónica (entre os 18 e os 59 anos).


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados